Distância e constrangimento: dirigentes de Fla e Flu se encontram após STJD

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Bruno Braz / UOL Esporte

    Peter e Bandeira se encontraram pela primeira vez após polêmica no STJD

    Peter e Bandeira se encontraram pela primeira vez após polêmica no STJD

Após protagonizarem uma polêmica no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com a ameaça de anulação do último clássico entre as equipes, os presidentes do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e Peter Siemsen, do Fluminense, se encontraram pela primeira vez em um evento promovido pelo candidato à prefeitura do Rio Marcelo Crivella. Sorridentes, eles foram da distância à formalidade.

Reunidos na presença também dos presidentes de Botafogo e Vasco, Carlos Eduardo Pereira e Eurico Miranda, eles ouviram as promessas políticas de Crivella e, num primeiro momento, evitaram a proximidade.

Enquanto Pereira, Eurico e Bandeira sentaram-se na primeira fila, Siemsen se posicionou ao fundo e não se aproximou nem mesmo com o pedido do presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, Rubens Lopes, antes da fala do político do PRB.

Durante o debate, o dirigente rubro-negro manteve-se calado, Peter sugeriu uma proposta de parceria entre os clubes e a prefeitura e o vascaíno, como de praxe, roubou a cena, falando mais do que os demais.

Ao fim do evento, porém, os quatros presidentes e Crivella posaram para fotos e Siemsen e Bandeira tiveram um contato formal mediado por Rubinho. O diálogo durou cerca de cinco minutos entre sorrisos constrangidos.

Questionado sobre o contato com o dirigente tricolor, Bandeira preferiu evitar polêmica:

"Conversamos rapidamente, mas temos que saber separar as coisas. Ele estava buscando seus direitos e o Flamengo os dele. Problema zero".

Já Peter não se mostrou disposto a dar entrevista e falou rapidamente sobre a aproximação entre os dirigentes dos clubes do Rio e a Ferj.

"Estamos conversando tranquilamente. O importante é trabalhar para construir um futuro melhor para o futebol carioca", disse.

Sobre a decisão do STJD, Bandeira de Mello acredita que possa ter servido como um combustível a mais para a equipe rubro-negra no duelo contra o Corinthians, neste domingo, no Maracanã.

"Eu nunca tive dúvidas de que o Flamengo teria seus pontos devolvidos, mas claro que causa certa insegurança e foi muito boa a notícia no fim daquela tarde de quarta (19), pois servirá como uma motivação a mais para os nossos jogadores", avaliou. 

Entenda o caso

O Fluminense solicitou a anulação do clássico com o Flamengo, onde foi derrotado por 2 a 1, na última segunda-feira (17) por entender que houve interferência externa sobre a arbitragem em uma marcação de impedimento de Henrique.

No lance apontado pelo Tricolor, o zagueiro fez um gol irregular e anulado corretamente pelo auxiliar. O árbitro Sandro Meira Ricci o validou após os protestos tricolores. Depois de muita reclamação dos flamenguistas e de uma suposta interferência externa, quando o inspetor da partida teria avisado Ricci que o gol foi irregular a partir de imagens da TV, o juiz o anulou definitivamente.

A suspensão do resultado da partida deixou o Flamengo temporariamente sete pontos atrás do líder Palmeiras no Campeonato Brasileiro e com um jogo a menos. O clube preparou a defesa através do advogado Michel Assef Filho e obteve êxito no pedido de cancelamento do julgamento.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos