Melhor não perder em Chapecó! Entenda por que Dorival corre riscos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação/Santos FC

    Vaga na Libertadores de 2017 definirá o futuro de Dorival Júnior no comando do Santos

    Vaga na Libertadores de 2017 definirá o futuro de Dorival Júnior no comando do Santos

Após a eliminação do Santos para os reservas do Internacional na Copa do Brasil, o técnico Dorival Júnior ficou mais pressionado na Vila Belmiro. O UOL Esporte apurou que os próximos resultados podem definir o futuro do treinador no clube, começando pelo duelo contra a Chapecoense neste domingo, às 19h30 (de Brasília), na Arena Condá, em Chapecó, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O motivo é que os dirigentes santistas estão inseguros quando o assunto é a classificação para a Copa Libertadores da América.

Apesar de o Santos figurar na quarta colocação, com 55 pontos, sete a frente do sexto colocado, último a garantir uma vaga na pré-Libertadores do próximo ano, a diretoria santista sempre traz a memória a não-classificação para a competição continental deste ano.

Para eles, Dorival é o principal responsável por perder a classificação após o time chegar em dezembro com boas possibilidades de alcançar o objetivo em duas competições – Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil. Segundo a cúpula santista, o treinador errou na estratégia ao poupar os titular nas últimas rodadas do Brasileirão – contra Coritiba e Vasco – e apostar todas as suas fichas na final da Copa do Brasil, perdida para o Palmeiras.

Por conta disso, a diretoria santista já decidiu que não pretende correr riscos novamente. Se perceber que a classificação para a Libertadores estiver ameaçada, Dorival será demitido. Caso o treinador mantenha o time no G4, no mínimo, ele segue com o trabalho normalmente.

As derrotas para os reservas de Grêmio e Internacional nos últimos dois confrontos do time irritaram bastante a diretoria. O presidente Modesto Roma, inclusive, mudou os seus planos e viajou às pressas para a Porto Alegre, onde se reuniu com o elenco.

O dirigente não confirma publicamente, mas cobrou o treinador e os atletas em reuniões. Somente com Dorival Júnior, o mandatário realizou três reuniões – uma na quinta-feira e duas na sexta-feira. Modesto pediu que Dorival foque no título brasileiro para que o time não corra riscos de perder a vaga na Libertadores.

Dorival segue sem artilheiro do time

Para vencer a Chapecoense, Dorival não contará mais uma vez com o meia Vitor Bueno, artilheiro do time no Campeonato Brasileiro, com 11 gols.

Vitor Bueno não atuava havia um mês quando entrou em campo no segundo tempo do jogo contra o Grêmio no último domingo, na Vila Belmiro. No dia seguinte, ele sentiu novamente um incomodo muscular na coxa durante treinamento no CT Rei Pelé e foi vetado pelo departamento médico para o duelo contra o Internacional. "Atrapalha (ausência de Vitor Bueno). É um grande jogador, de definição, 11 gols no Brasileiro não por acaso. Nosso grupo tem capacidade e qualidade para superar obstáculos, eventual falta de atleta", disse Dorival.

Jean Mota, que não atuou contra o Inter por ter defendido o Fortaleza na Copa do Brasil, assume a posição. Com isso, Paulinho volta para o banco de reservas.

Luiz Felipe, que cumpriu suspensão contra o Grêmio, será mantido na zaga ao lado de David Braz. Ele já havia voltado ao time contra o Inter na quarta-feira, em Porto Alegre. Vecchio, cortado por opção técnica, e Elano, Gustavo Henrique e Vladimir, seguem fora por causa de lesões.

O Santos deve entrar em campo coma seguinte escalação: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz, Zeca; Thiago Maia, Renato, Lucas Lima, Jean Mota, Copete; Ricardo Oliveira. 

Quer receber notícias do Santos de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos