Soco de Edílson no Gre-Nal não é novidade e recria rótulo de 'bad boy'

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

Edílson entrou na confusão criada depois da falta de Kannemann em Valdívia e com Vitinho acertando o gremista ao tentar reaver a bola. Em meio a empurrões e debate, acertou três socos em Rodrigo Dourado. Postou-se com as mãos fechadas, como se lutasse boxe e não jogasse futebol. E não foi a primeira vez. A conduta lembra outros momentos em que ele perdeu a cabeça e freia a mudança de postura celebrada pela direção do Grêmio. 

Tão logo foi contratado, ele recebeu uma série de elogios. O 'novo Edílson' tinha trocado o estilo 'boleiro' e o rótulo de 'bad boy' por uma posição de liderança no elenco. Era ele quem motivava os colegas a cada atividade, e recebia cumprimentos dos diretores na época. 

Mas no calor das partidas - principalmente em clássicos - o jogador extrapola. Seja comemorando arrancando a bandeira de escanteio no duelo do Beira-Rio com o Inter no primeiro turno do nacional ou agora acertando em Dourado. 

Socos na Copa do Brasil de 2012

Brigar em momentos tensos não é novidade já no Grêmio. Em 2012, a vítima dos socos de Edílson foi o zagueiro Henrique, que atualmente defende o Fluminense. Em uma discussão semelhante a do último domingo, o defensor que na época vestia a camisa do Palmeiras acabou levando dois socos do gremista, que acabou expulso. 

Em tom de brincadeira, dias mais tarde, ele postou nas redes sociais uma foto em que vestia luvas de boxe. Mas rapidamente apagou a imagem para evitar repercussão. 

Dispensas marcam carreira

Edílson tem carreira marcada por dispensas. Em muitos dos clubes grandes que esteve, acabou saindo liberado por razões diversas. Aconteceu no Atlético-MG, no Avaí - acusado de participar de uma briga generalizada em uma casa noturna - do Atlético-PR e do Botafogo, por exemplo. No último caso, acabou desligado junto a Bolívar, Emerson Sheik e Julio Cesar, que também tinha sido seu colega no Grêmio. 

Entrada em Rildo no Corinthians

No Corinthians, Edílson lesionou o atacante Rildo em um treinamento. O lance acabou desagradando nos bastidores do clube. Uma entrada desproporcional gerou uma torção no tornozelo esquerdo e muito tempo afastado. Já no Grêmio, ele disse que o lance foi totalmente involuntário e revelou conversar com o corintiano. 

Antes, porém, já havia sido expulso durante partida do Paulista, desagradando o técnico Tite, que tinha por estratégia preservar o titular, Fágner. 

Grêmio aplica multa, mas está do lado dele

Os socos em Rodrigo Dourado foram aceitos pela direção do Grêmio. As palavras do técnico Renato Gaúcho foram as mesmas dos cartolas depois do jogo. Segundo eles, o jogador será multado por conta da expulsão, que não é aceitável, mas a confusão começou, sob ótica gremista, na atitude de Vitinho que tentou tirar a bola das mãos de Kannemann e também acertou o gremista. 

A conduta de Edílson não é motivo de preocupação. Mesmo que abalado pelos acontecimentos recentes, o jogador ainda é considerado exemplo de recuperação e mantém postura de liderança no elenco. 

Quer receber notícias de Grêmio de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos