Passado de corintiano Rodriguinho tem boemia, afastamento e fama de bad boy

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

    Rodriguinho marcou décimo gol da temporada no último domingo contra o Flamengo

    Rodriguinho marcou décimo gol da temporada no último domingo contra o Flamengo

"O Rodriguinho chegou uma vez. Não bêbado, mas de ressaca. Isso é normal". 

A declaração do ex-presidente Andrés Sanchez à Rádio Bradesco, na última semana, gerou reações de torcedores em redes sociais contra aquele que é, em 2016, um dos mais regulares do Corinthians. Em especial nos jogos mais recentes, Rodriguinho tem contribuído diretamente na ascensão da equipe até a sexta posição do Campeonato Brasileiro. O que pouco se sabe é que, no passado, ele carrega um histórico em relação ao que disse Andrés. 

Conduta ruim fez Rodriguinho ser retirado dos profissionais

A passagem do meia potiguar pelo ABC-RN é marcada por reverências ao talento e críticas à postura. No auge dos problemas, em 2008, quando tinha 20 anos, ele chegou a ser afastado da equipe profissional após ser promovido das divisões de base. 

"Houve um deslumbramento", diz Ferdinando Teixeira, treinador do ABC na ocasião. "Garoto se empolga com retrato no jornal, com carro, com um dinheiro que não ganhava até então, com a mulherada dando em cima. Então teve dura e conselho. O treinador vê o jogador treinar todo dia, então quando ele chega para treinar em um ritmo diferente, você percebe, te chama a atenção", acrescenta Ferdinando, hoje aposentado.

Divulgação/ABC
Rodriguinho (à direita) no futsal do ABC: idas e vindas em Natal

O preparador físico Flávio Paiva, até hoje no clube, lembra dos conselhos a Rodriguinho. "Ele era muito jovem e tinha essas informações de que gostava da noite, esse tipo de coisa. Não que atrapalhasse muito, porque ele nunca deixou de treinar, sempre chegou e cumpriu os horários. Mas tinha essa fama e a gente sempre procurou aconselhar da melhor maneira, porque havíamos percebido o talento que ele tinha. Ele gostava da noite, da cervejinha, era da base e ficou uma temporada e meia. Depois foi embora", conta Flávio. "Hoje talvez ele até tenha melhorado bastante, porque depois se casou", acrescenta. 

Futsal foi a saída para dar a volta por cima

Insatisfeito pela conduta da promessa na época, o ABC chegou a retirar Rodriguinho do futebol de campo e passar para o futsal. Rubens Lemos Filho, que coordenava a equipe na época, defende o jogador.

"Ele foi mandado embora do ABC e voltou para o futsal. Alegavam que ele faltava a treinamentos, mas como nunca foi comprovado deram como deficiência técnica. O que ele fazia fora de campo, todos faziam. Ele não foi diferente de outros boleiros bad boys. Ele foi exageradamente criticado por ser da terra, de Natal", comenta. "Ele voltou para o futsal, ganhamos uma taça do Nordeste em 2009 e aí ele foi contratado pelo Bragantino", recorda. 

Rubens, porém, guarda uma mágoa do jogador que se destaca no Corinthians. "Ele não foi muito grato, porque ele não menciona que jogou futsal no ABC. Não sei qual a vergonha em dizer isso", reclama. 

Presidente defende Rodriguinho

Judas Tadeu, presidente à época e novamente no clube, faz elogios ao jogador do Corinthians. Ele ainda aponta outro motivo para o jogador ter atuado nas quadras da equipe.

"No futsal, era uma empresa que terceirizava, então ele tinha uma ajuda de custo que não se dava no campo. Eu sempre conversava com ele porque era um atleta de nível pessoal acima dos outros. Tinha uma vida diferente dos outros por ser família de nível médio. Ele só saiu do clube quando terminou o contrato. O ABC fica muito feliz porque vê ele num progresso muito bom, a gente sabia que o sucesso dele chegaria. Ele não aprontava muito, mas quando teve a consciência progrediu", admite Judas. 

Carreira deslancha longe de Natal, mas sucesso em alto nível só chega em 2016

Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Rodriguinho apresentado ao lado de Diego Macedo no Corinthians em 2013

Primeiro pelo Bragantino e depois pelo América-MG, Rodriguinho conseguiu se firmar como jogador profissional e chegou ao Corinthians em meio à complicada temporada de 2013. Com poucas oportunidades e muita timidez, não se firmou com Tite nem com Mano Menezes. Nem no Grêmio, com Luiz Felipe Scolari, e nem nos Emirados Árabes, em que teve momentos bons e outros nem tanto sob o comando de Paulo Bonamigo. 

Na volta ao Corinthians, aprovado por Tite, se encontrou. Rodriguinho foi um reserva importante na conquista do Brasileirão 2015 e ganhou espaço na atual temporada. É o quinto jogador com mais minutos em campo, vice-artilheiro do elenco com 10 gols marcados e também o quinto em assistências. Antes meia-atacante, foi recuado para a posição de armador e parece viver o momento mais maduro dentro e fora de campo com 28 anos. A ponto de admitir com personalidade que, comemorar vitórias com alguns excessos, de vez em quando, é algo normal

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos