Metamorfose ambulante, Corinthians pega Chapecoense sem poder mais errar

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    Oswaldo de Oliveira em preparação para enfrentar a Chapecoense, rival deste sábado

    Oswaldo de Oliveira em preparação para enfrentar a Chapecoense, rival deste sábado

Nas contas do Corinthians para terminar entre os seis primeiros do Brasileirão e jogar a Copa Libertadores em 2017, uma vitória sobre a Chapecoense, neste sábado, é indispensável. Atrás de regularidade em Itaquera, porém, o treinador Oswaldo de Oliveira optou pelo que é uma constante dos corintianos na atual temporada: mudar. 

São três trocas na equipe que, desde 17 de julho, não sabe o que é repetir escalação na Série A. Por sinal, só Corinthians e os rebaixáveis Santa Cruz e Figueirense tiveram quatro comandantes diferentes dentro da competição. As metamorfoses têm sido constantes para os corintianos. 

A ausência do criativo Guilherme, suspenso, é a única em relação às últimas partidas corintianas, mas Oswaldo preferiu mexer mais. Em todos os setores, inclusive. 

Pedro Henrique e Vílson, com só um jogo juntos até aqui, é a dupla de zaga. Willians sai do time para a volta de Camacho. Marlone, após dois jogos ausente, assume o lugar de Guilherme, mas jogará pela ponta, como de costume. Assim, Romero novamente atua em sua posição secundária: sai da beirada e volta a ser centroavante. Antes com um 'falso nove', o Corinthians volta a ter um 'camisa 9' de ofício. Mudanças e mudanças...

"Se a gente jogasse sempre aos domingos, seria sempre mais fácil repetir o time", justificou Oswaldo, com menção a desgaste físico. "No fim de temporada, com Copa do Brasil, Brasileiro, jogadores lesionados e estafados, você tem que buscar um artifício para compensar. O ideal é ter o time escalado do 1 ao 11. A gente se depara com situações inusitadas", explicou. 

Nesse contexto, ter Vílson e Balbuena com dois cartões amarelos cada, o desgaste pelo excesso de jogos em Marlone e Camacho, entre outros itens, são as situações inusitadas citadas por ele. 

Além das trocas na escalação, Oswaldo também deverá mudar a proposta do time que vem de visitas ao Cruzeiro e Flamengo. A ideia contra a Chapecoense é propor mais o jogo e investir menos nos contragolpes. Até por isso, Camacho foi recolocado na função mais defensiva do meio-campo. Willians, escalado para aumentar a marcação no Maracanã, é novamente opção no banco. 

Focado na disputa da semifinal da Copa Sul-Americana, a Chapecoense também deverá ser diferente do habitual na Arena Corinthians. Caio Júnior promete enviar uma equipe mista a campo, mas não revelou quem joga e quem não. 

Para a equipe de Oswaldo de Oliveira, tanto faz. Somar nove pontos nos três compromissos como mandante, a começar por este, é quase obrigação para atingir a meta de se manter no G-6 até o fim do Brasileiro. A notícia na noite de sexta que deixou o ambiente menos tenso foi o fato de o Fluminense empatar com o Vitória e não tirar o Corinthians da sexta colocação.

FICHA TÉCNICA

Corinthians x Chapecoense

Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena Corinthians, em Itaquera (SP)
Data e hora: 29/10/16 (sábado), às 16h30 (de Brasília)
Arbitragem: Jean Pierre Gonçalves Lima (Asp Fifa-RS), auxiliado por Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (RS) e Leirson Peng Martins (RS)

Corinthians: Walter; Fagner, Pedro Henrique, Vílson e Uendel; Camacho; Marlone, Giovanni Augusto, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel; Romero. Treinador: Oswaldo de Oliveira

Chapecoense: Danilo; Gimenez, Thiego, Neto (Filipe Machado) e Dener Assunção (Alan Ruschel); Josimar; Tiaguinho (Hyoran), Cléber Santana, Gil e Ananias (Lucas Gomes); Kempes (Bruno Rangel). 
Treinador: Caio Júnior

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos