Oswaldo se irrita após 4 a 0 e vê Corinthians fragilizado em 2016

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

Em menos de um mês no Corinthians, o treinador Oswaldo de Oliveira dá sinais de irritação. Neste sábado, após derrota por 4 a 0 no clássico em visita ao São Paulo, ele mostrou irritação com algumas perguntas no Estádio do Morumbi. 

Em sua análise, Oswaldo mostrou que esperava repetir o padrão da atuação do empate em 2 a 2 com o Flamengo, mas a partida com o São Paulo se apresentou de outra maneira. Além de responsabilizar o árbitro pelo pênalti marcado no início do jogo, o treinador viu necessidade de reforços para 2017.

Logo na primeira pergunta, Oswaldo interrompeu um jornalista. "Eu não disse nada disso", reclamou, quando na verdade o interlocutor citava uma declaração de Fagner, capitão corintiano no clássico. O assunto era a falta de opções no elenco. "Lógico que temos erros a corrigir. Mas essa equipe que começou o jogo hoje, com exceção do goleiro, foi a mesma que começou contra o Flamengo e fez uma partida muito boa", comparou o treinador, que na verdade havia utilizado também outra dupla de zaga no Rio de Janeiro, com Pedro Henrique e Vílson. 

O confronto com o Fla foi tema recorrente na entrevista, pois Oswaldo usou o empate em 2 a 2 como argumento em algumas oportunidades. "Com esse mesmo time fizemos, em circunstâncias similares, um bom jogo com o Flamengo. Era para ganharmos lá, mas um erro de arbitragem nos tirou a vitória", reclamou.

"O técnico é parte da estrutura. Estou há 20 dias procurando fazer o melhor que posso, porque o elenco foi muito desequilibrado.(...) O erro hoje nos fez sair derrotados do campo, desequilibrou, e se estivesse mais equilibrado poderia buscar o resultado. (...) Temos erros para corrigir. Fizemos um primeiro tempo razoável, poderíamos ter empatado no fim do primeiro tempo e isso daria equilíbrio para voltarmos ao segundo tempo. Não conseguimos mais controlar o jogo", comentou Oswaldo. 

O treinador também não concordou quando foi perguntado sobre a liberdade a Cueva, autor de três assistências e um gol no clássico. "Não achei tanta liberdade. É um jogador desenvolto, que precisamos marcar. Até procuramos similaridade com Diego no jogo do Flamengo. Não conseguimos ter uma marcação efetiva da mesma forma como da outra vez", disse. 

Na última pergunta da entrevista, mais reclamações por parte de Oswaldo. Ele foi perguntado de qual recado poderia dar aos torcedores no momento difícil e respondeu: "interessante, assim, você colocar o torcedor. Dê sua opinião, faça sua pergunta que vou responder. Não se pode generalizar colocando em confronto com o que eu penso. O resultado não é animador. Ninguém está feliz. Nós vamos trabalhar para reagir, para reconstruir, para repor", prometeu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos