Defesa do Botafogo brilha com argentino e vira chave do sucesso no 2º turno

Do UOL, em São Paulo

Se você quiser entender como o Botafogo conseguiu uma ótima campanha no 2º turno do Campeonato Brasileiro, precisa olhar para a defesa do time. É o principal ponto forte da equipe, que conseguiu segurar muito bem o Flamengo neste sábado, no empate por 0 a 0. E esse bom desempenho se deve em grande parte a Joel Carli, capitão da equipe, que tem comandado a zaga botafoguense.

Números simples mostram toda a força da defesa botafoguense: o time está sem sofrer gol há três jogos e foi vazado apenas cinco vezes 15 jogos disputados no 2º turno. Sob comando de Jair Ventura, apenas uma vez o Botafogo sofreu dois gols em um jogo, contra o Atlético-MG.

Joel Carli se recuperou de lesão durante o mês de agosto e voltou a jogar justamente quando terminou o 1º turno. Não é coincidência que a zaga tenha melhorado justamente quando ele virou titular novamente. O argentino passou a liderar o time, assumiu a faixa de capitão e tem acumulado boas atuações, inclusive contra o Botafogo, neste sábado, quando sobrou no jogo áereo e fez desarmes e rebatidas importantes com a bola rolando.

Mas é claro que a defesa não se sustenta apenas em Carli. Sidão tem feito defesas importantes. Emerson tem sido um bom companheiro de zaga para ele. Os laterais, Alemão e Victor Luis, são eficientes na defesa. E a proteção no meio-campo, com Airton e Bruno Silva, também chama atenção positivamente. Até o técnico Zé Ricardo, do Flamengo, elogiou o sistema defensivo botafoguense: "eles têm muita mobilização defensiva, se entregam muito, como tem que ser".

Ataque problemático

Os últimos dois jogos do Botafogo terminaram 0 a 0 e há uma explicação simples para isso: apesar da defesa estar forte e preparada, o ataque tem acumulado problemas e faz com que o time não consiga vitórias e nem suba mais na tabela. O desempenho no 2º turno é de 16 gols em 15 jogos. Ao todo time fez 41 gols em 34 partidas. É apenas o 9º melhor ataque do campeonato.

No jogo contra o Flamengo, o time criou chances durante o 2º tempo, mas perdeu todas. A melhor dela foi nos acréscimos, quando Rodrigo Pimpão ficou frente a frente com Alex Muralha, mas chutou para fora.

Neste sábado, Pimpão virou titular na vaga que era de Sassá, artilheiro do Botafogo no Brasileirão. Mas a solução não poderá ser a troca de um jogador pelo outro, pois Sassá levou o terceiro cartão amarelo e estará suspenso no jogo contra a Chapecoense, no dia 16 de novembro, às 19h30 (de Brasília). Jair Ventura precisa encontrar outras soluções no time e terá dez dias para treinar isso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos