Flu aposta em técnico ídolo e G-7 para tentar chegar à Libertadores

Do UOL, no Rio de Janeiro

Sem vencer há seis jogos no Campeonato Brasileiro, o Fluminense tenta a última cartada para garantir uma vaga na Libertadores de 2017. A derrota por 4 a 2 para o Cruzeiro foi emblemática, expôs um time sem poder de reação e culminou na demissão do técnico Levir Culpi. A aposta do presidente Peter Siemsen está no ídolo da torcida Marcão.

Será do ex-volante a responsabilidade de comandar o Tricolor nos quatro jogos finais do Brasileirão. Com 48 pontos, a equipe ainda enfrenta Atlético-PR (casa), Ponte Preta (fora), Figueirense (fora) e Internacional (casa). Nas contas do departamento de futebol, quatro vitórias serão suficientes para disputar a principal competição do continente na próxima temporada.

Atualmente, o Fluminense está a três pontos do Atlético-PR, o sexto colocado. No entanto, Peter Siemsen e pares apostam em um G-7, já que Atlético-MG e Grêmio decidem a Copa do Brasil. Se o campeão estiver colocado entre os seis primeiros, a sétima posição levará à Libertadores.

A intenção de Peter é dar tranquilidade ao interino Marcão para desenvolver o trabalho em mais de uma semana apenas de treinos por conta das Eliminatórias da Copa do Mundo. A última cartada foi lançada. Resta saber se dará o resultado esperado em um fim de ano tumultuado nas Laranjeiras.

"Vamos trabalhar quase dez dias. Está nítido que o Fluminense precisa de um bloqueio melhor, uma intermediária mais forte. Temos bons jogadores de velocidade, encaixamos contra-ataques nos últimos jogos com qualidade, mas perdemos o controle. O nosso objetivo é fazer quatro grandes partidas. Possivelmente teremos o G-7 para conquistarmos essa vaga. Vamos dar um voto de confiança e essa chance ao Marcão, que é um ídolo e um cara apaixonado pelo Fluminense", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos