Inspirados por Fla e Bota, Flu não descarta manter técnico 'prata da casa'

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

Após a demissão de Levir Culpi, Marcão assumiu o Fluminense. A primeira missão ocorrerá nesta terça-feira, quando o time medirá forças com o Atlético-PR, no Maracanã. E antes mesmo do duelo, o interino conta com apoio de conselheiros que gostariam de vê-lo efetivado na função em 2017.

O Fluminense não descarta essa situação, mas sabe que dependeria de algumas circunstâncias. Duas delas serão bem decisivas. A primeira, claro, será o desempenho do time nos quatro jogos finais do Campeonato Brasileiro sob novo comando. A segunda é a eleição do novo presidente.

O fato é que o momento de rivais Flamengo e Botafogo inspiram o Fluminense a seguir o mesmo caminho. O Rubro-negro foi o primeiro a apostar em um profissional formado no próprio clube após demissão de Muricy Ramalho. Zé Ricardo assumiu o time e mudou a cara da equipe. Ele é funcionário do Fla, que seguirá apostando na sequência do trabalho.

O mesmo ocorre com o Botafogo. Ricardo Gomes trocou o clube pelo São Paulo. Assim como o Flamengo, o Alvinegro decidiu apostar em uma prata da casa. Jair Ventura, em General Severiano há vários anos, teve a chance de assumir a equipe e mudou o panorama do time. Da briga contra o rebaixamento, passou a lutar pela Libertadores.

O sucesso de Jair, inclusive, é um espelho para Marcão. "Converso muito com o Jair. Espero pegar a energia dele e trazer confiança ao Fluminense", disse Marcão brevemente em sua primeira entrevista após reassumir a equipe. Ele esteve à frente do time após demissão de Eduardo Baptista. Foram dois jogos e duas vitórias: Friburguense e América, pelo Carioca.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos