Ficar fora da Libertadores seria um vazio, define Oswaldo antes de decisão

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Atualmente na sétima posição, o Corinthians entra no grupo de acesso na Copa Libertadores em caso de vitória no sábado, contra o Atlético-PR. Para o treinador Oswaldo de Oliveira, não atingir essa posição e ficar fora da competição continental seria decepcionante. Embora tenha chegado recentemente ao clube, ele não fugiu do sentimento. 

"Como chego há pouco tempo, não tenho essa coisa muito clara. Encaro como uma continuidade do trabalho. Se não pudermos participar de fase eliminatória, vai ficar um vazio, vai fazer falta. Como vejo uma coisa com princípio, meio e fim, vamos jogar naturalmente. Vamos procurar sim a vitória. Se vierem, serão bem vindas. Significa que teremos uma participação mais importante", comentou Oswaldo, com uma definição curiosa na sequência. 

"Para quem não disputa a Libertadores, há sempre a sensação de quarta-feira de cinzas (nos jogos). Temos que pensar em formar uma equipe forte (para 2017) e isso não acontece do dia para a noite. São muitas transformações, saíram jogadores com experiência e qualidade que levaram ao trabalho sensacional do ano passado. Prefiro não me preocupar com planejamento levando em conta a classificação ou não. Existe um trabalho a ser realizado. Vejo isso como fator de motivação se classificar", afirmou. 

Questionado se o Corinthians ir à Libertadores é obrigação, Oswaldo contemporizou. "?Depende de onde se olhar. Vejo outros clubes, preferiria não falar nomes, mas com mesma grandeza, que não conseguiram chegar a esse ponto. Se olharmos a trajetória, as coisas que aconteceram, as mudanças do ano passado pra cá, não é de se considerar ano perdido. É um ano de transição, de mudança de trabalho e com um futuro muito promissor. Quando encaro esse elenco com jovens muito promissores, que vieram de outros clubes com muita qualidade, vejo um futuro muito promissor. Não considero ano perdido", disse.

Oswaldo de Oliveira ainda admitiu que, para 2017, terá mais capacidade de colocar seu trabalho à mostra. "Tenho falado isso porque tem que ter o início, o conteúdo e o final para constituir o trabalho. Como terminamos agora a temporada, muita coisa nós damos continuidade ao que acontecia. Paulatinamente, coloco aqui e ali alguma situação a mais. Claro que vai ser mais importante, contundente, a partir de janeiro quando a gente pegar um trabalho, for formatando, desenvolvendo e, para isso, uma característica vai acontecer com o desenvolvimento disso, com o elenco que tivermos para trabalhar. Estamos no embrião". 

Veja mais declarações de Oswaldo

OPÇÕES NA EQUIPE
Romero tem atuado sempre, Lucca nem tanto. A opção foi mais por Marquinhos e Marlone que foram bem na última partida e estão bem ajustados, então vamos dar continuidade. Os outros (Giovanni Augusto e Guilherme) estão todos juntos, se houver necessidade estão preparados para atuar.

RODRIGUINHO MAIS OFENSIVO?
Não tem mudança alguma da forma que vinha jogando antes. O revezamento com Giovanni (ambos são meias no sistema 4-1-4-1) vai permanecer com Camacho. Ele (Rodriguinho) é mais ofensivo por característica, pisa mais na área, nós vamos procurar manter. A composição tática é a mesma.

MARLONE MANTIDO
Defendo o Marlone jogando bem como no último jogo. Pela direita ou esquerda não tem problema. No jogo passado, eles (Marquinhos e Marlone) trocaram de posição, foram efetivos, objetivos, com posições invertidas. Não há preferência pelo lado. A circunstância do jogo que vai ditar.

GUILHERME NA RESERVA
Guilherme passa por um processo de recuperação, então prefiro que ele ainda sirva como opção durante o jogo. Na medida em que for se recuperando, temos uma semana, talvez para o próximo jogo (com Cruzeiro) ele possa atuar integralmente.

CRISTIAN TITULAR
Gostei muito da participação do Cristian. Ele tem contrato até o fim do ano que vem. Está nos planos. Espero que jogue com a mesma eficiência do último jogo.

ROMERO RECEBEU PLACA DE 100 JOGOS
Acho legal isso, porque é a reedição de uma situação que eu estava muito acostumado no Japão. Lá, eles entregam um quadro a cada 100 partidas que se completa na J-League (torneio nacional) e hoje revivi isso aqui. Lá eu vi vários receberem essa honraria, essa homenagem. Espero ver o Romero receber de 200 jogos também. Terei imenso prazer em entregar a placa. É muito meritório ao Romero. Ele se entrega de corpo e alma, é um trabalhador, eu já reparava isso antes. Hoje convivendo com ele, vejo que joga com espírito. 

LEO JABÁ JOGARÁ MAIS VEZ?
Tomara, torço muito que isso aconteça. No jogo passado, se apresentou a entrada dele. Era uma coisa que a gente vinha projetando na semana de trabalho. Fiquei muito surpreendido com a capacidade que ele tem de puxar contra-ataque, se apresentar como um jogador voluntarioso e decisivo. Se nos próximos jogos isso acontecer, vou utilizar sim, não tenha dúvida.

Quer receber notícias do Corinthians de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos