Com Vitória quase salvo, Argel fala sobre Internacional: "não tenho mágoa"

Do UOL, em São Paulo

Argel foi demitido do Internacional no início de julho, com o Campeonato Brasileiro ainda na 14ª rodada. Na época, o time gaúcho chegou à quarta derrota seguida, mas ainda ocupava a oitava colocação da tabela. Mesmo assim, o técnico acabou demitido. Hoje no Vitória, ele praticamente salvou a equipe baiana do descenso depois do triunfo por 1 a 0 sobre o Coritiba na noite desta segunda-feira. E após o jogo, garantiu: não guarda mágoas do Internacional.

Argel chegou ao clube gaúcho em agosto de 2015. Pegou o time na 12ª colocação, e terminou o Brasileiro de 2015 no quinto lugar. Na atual temporada, porém, o Internacional não repetiu a boa campanha do ano anterior e realizou algumas trocas de técnicos, entre eles a de Argel, que acabou substituído por Paulo Roberto Falcão – Celso Roth e Lisca viriam na sequência.

"Pegamos o Inter em 12º e chegamos em quinto [em 2015]. Clube que me formou e tenho um respeito muito grande. Conquistamos dois títulos importantes, e a gente gosta desse tipo de desafio. O Internacional teve três rodadas na liderança com a gente no comando [no atual Brasileiro], mas é uma decisão que tem que ser respeitada. Não tenho mágoa, tenho um respeito muito grande. Nosso trabalho foi fantástico, de um ano", afirmou Argel ao programa Bem, Amigos!, da SporTV.

Em seguida, Argel destacou o convite do Vitória depois que acabou demitido (também) do Figueirense, em agosto. Com a ajuda de Marinho, principal destaque do time baiano na competição, o técnico praticamente livrou o Vitória de qualquer possibilidade de rebaixamento.

"Fiquei 20 dias na Itália, dei uma esfriada na cabeça e a gente aceitou o desafio de vir para o Vitória, um clube que tem estrutura, organização, dá condições para o treinador, uma torcida apaixonada, e a gente sabe a força que tem jogando dentro de casa. Eu gosto desse ambiente. E a mesma pressão que você tem para ser campeão é a pressão que você tem para o rebaixamento", disse Argel.

"O Inter ganhou e jogou uma pressão muito grande para gente. Isso é uma constante no futebol. A gente está no caminho certo. O mais importante é fazer nosso dever. Dependemos só da gente. Sabia da qualidade desses jogadores e acho que a capacidade deles que tirou a gente dessa situação", completou o técnico.

Com o triunfo, o Vitória chegou a 45 pontos e abriu três em relação ao Internacional, com apenas mais uma rodada pela frente. Fora isso, a equipe baiana tem -1 de saldo, contra -6 do Internacional. Portanto, o time gaúcho precisa, além de vencer o Fluminense fora de casa e torcer por uma derrota do Vitória diante do Palmeiras, tirar a diferença de saldo de gols.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos