São Paulo se coloca à disposição para dar assistência à família de Caramelo

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    O lateral direito Caramelo tinha vínculo com o São Paulo até 2018

    O lateral direito Caramelo tinha vínculo com o São Paulo até 2018

O São Paulo estuda uma maneira de ajudar a família de Caramelo. Vinculado ao Tricolor até maio de 2018, o lateral direito, que tinha 22 anos, estava emprestado até o fim desta temporada à Chapecoense e no avião que caiu, na Colômbia.

"Acionei o departamento jurídico do São Paulo. Existem coisas legais. Quando o atleta falece, o contrato é rescindido. É duro, mas real. Vamos ver uma forma para manter isso [o contrato]", disse o diretor executivo do São Paulo, Marco Aurélio Cunha. 

"O Caramelo terá o seu seguro, que está dentro da CBF. Mas acho que esse valor, que eu nem sei qual é, irrisório para um jogador jovem e de futuro como era ele. Vamos tentar manter o alinhamento do seu contrato", garantiu Cunha.

O Tricolor propõe a criação de um fundo para prestar auxilio para as famílias dos jogadores. A ideia era utilizar a renda já da última rodada do Campeonato Brasileiro, quando o Tricolor vai enfrentar o Santa Cruz.

"Essa é uma ideia que o presidente [do São Paulo] Leco teve. Acho que emprestar jogador é difícil, porque vai ter de ver qual atleta será cedido. Não vou emprestar um atleta que não seja revelante, alguém que não queira. Acho que o mais certo seria todos os clubes ajudarem a bancar um determinado jogador ou as famílias desses jogadores que morreram. Falamos da Chapecoense, mas é uma instituição eterna. Porém, os que se foram nesse acidente eram provedores de famílias. Como ficam filhos, pais mulheres dessas vítimas", questionou Cunha.

Quer receber notícias do São Paulo de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos