"Quem não estiver à vontade, não irá jogar", diz Lisca sobre grupo do Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    Lisca irá analisar o psicológico dos jogadores do Internacional para última rodada

    Lisca irá analisar o psicológico dos jogadores do Internacional para última rodada

O técnico Lisca foi sincero ao avaliar a condição emocional do elenco do Inter antes da última rodada do Brasileiro. Depois de ver os jogadores reiterarem o objetivo de não disputarem a última rodada, o treinador deixou todos à vontade para não jogar. Dependerá da manifestação de cada um. 

"(jogadores) Estão com sentimento de tristeza muito grande. Mas falei para eles que a vida segue. É duro, difícil, mas temos nossos compromisso. O meu é prepará-los. Se vai ter ou não jogo é outra situação. A cabeça já estava difícil pela nossa situação. Coloquei a minha motivação para eles, independente do que acontecer, se for jogo para permanecer ou não conseguir, farei meu melhor e prepararei todos para um grande jogo. Estou observando o estado anímico deles. Quem estiver mais motivado, quem estiver mais abatido, quem terá objetivos, quem não estiver à vontade, e tem todo o direito, não irá participar. Eles podem se manifestar, eu  vou analisar e farei o melhor para o clube", disse. 
 
"Eles (jogadores) estão abalados. É claro. Não se sentem em condições de jogar, e eu respeito isso. Vamos analisar. Eles têm a opinião deles, eu tenho a minha. Não vou externar ela para vocês. Não é o momento de falar. O que tenho que fazer é ação e agir para brigar pela vaga, se tiver rodada. Me preparo par ao jogo. Se não tiver, também estou preparado. Meu papel é motivar eles", completou. 
 
O técnico tentou falar o mínimo possível sobre a possibilidade de cancelamento da rodada e não deu qualquer opinião sobre a tragédia ocorrida com o voo da Chapecoense que vitimou 71 pessoas. 
 
"Este assunto triste que começou naquela madrugada, bem na contramão do que vem acontecendo para mim, mas é como já me expressei, falei sobre o assunto. Já tem muita opinião, pontos de vista, é momento de focar no meu trabalho. Todos já falaram com vocês. Tenho minha opinião, manifestei internamente, mas em respeito às vítimas não se deve falar. O velório é amanhã, temos enterro, então eu me coloco na situação deles e é um assunto ultrapassado para mim. Sei que faz parte fomentar isso mas não vou me expressar mais", completou. 
 
O adiamento da rodada prejudicou o Inter na avaliação interna. Mas mesmo assim, o treinador valoriza o período que teve para trabalhar, mesmo sem querer isso por conta do motivo. 
 
"Eu não queria isso, é claro. Mas ele está aí. Este tempo foi ganho infelizmente com uma tragédia. Não é desrespeito com o pessoal da Chapecoense. Eu tenho muitos amigos e e treinei muitos jogadores, convivi com uma série de atletas que vi crescer. É tanta gente, é duro falar. Mas tivemos este tempo para trabalhar", falou Lisca. "Tem times que jogadores já estão saindo de férias, jogadores do Figueirense que estavam jogando e não vão jogar. Faz parte", completou. 
 
O Inter jogará contra o Fluminense na rodada derradeira. Para evitar o rebaixamento precisará ganhar e torcer para tropeços de Sport ou Vitória. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos