STJD vê tentativa do Inter para não ser rebaixado e ameaça com punição

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    O Inter não gostaria de jogar a última rodada do Campeonato Brasileiro

    O Inter não gostaria de jogar a última rodada do Campeonato Brasileiro

O presidente do STJD, Ronaldo Piacente, está de olho nas últimas atitudes do Internacional. A manifestação do elenco contra última rodada, a investida no tribunal pela inscrição irregular do zagueiro Victor Ramos, do Vitória, o presidente Vítório Píffero falando em 'campeonato incompleto'. Tudo está sob análise para que não seja uma tentativa de virada de mesa. 

"Estou muito atento a esta manifestação. Está me parecendo que isso nada mais é do que uma tentativa de não ser rebaixado, ou algo assim. Eu estou muito atento ao que pode acontecer. Se houver essa questão de não participar do jogo, ficarei muito atento com isso. Se alguém se beneficiar com a situação da Chapecoense, seria uma vergonha e o Tribunal irá agir", disse Ronaldo à Rádio Bandeirantes. 
 
Os jogadores do Inter, reunidos, pediram para não disputar a última rodada do nacional. A reportagem do UOL Esporte apurou que houve uma reunião para a decisão dos atletas e que foi prontamente apoiada pelo presidente, que aproveitou para dizer que rebaixar o Colorado sem a realização da última rodada não seria a melhor escolha e pedir um 'campeonato incompleto'. 
 
"Estou analisando e de olho. Se eu entender que é uma manifestação oportunista, o Tribunal irá atuar. Estamos respeitando este momento triste da Chapecoense, agora, comparar com o Atlético-MG é diferente, seria um confronto direto. Temos que respeitar o luto, este momento duro, mas após isso, dizer que não irá jogar por conta da Chapecoense é complicado e estamos de olho nisso", repetiu o mandatário do STJD. 
 
O Colorado ocupa a última posição de queda e via na última rodada a chance de escapar do primeiro rebaixamento de sua história. Precisava vencer o Fluminense e ainda contar com tropeços de Sport ou Vitória. Por conta do adiamento dos jogos devido a tragédia ocorrida com a Chapecoense, o Inter se viu prejudicado. 
 
"Não acredito que outros clubes vão aderir a isso (de não jogar)", explicou. "Vamos ficar em cima. Se alguém se beneficiar por conta disso, vamos estudar. Vamos agir para ninguém se beneficiar sobre a desgraça dos outros", completou. 
 
"O que precisa ficar claro é o bom senso. Temos agora uma situação atípica e temos que tomar cuidado com o que fazer. Não ter uma decisão que beneficie um e prejudique outro. Se todos os clubes, a CBF, e tudo mais, assinarem, o Tribunal não vai se opor. Mas se três ou quatro clubes não quiserem jogar, outros quiserem, e alguém se beneficiar, vamos estudar uma forma de agir para que isso não aconteça", sentenciou. 
 
Além disso, o STJD diz estar atento também a qualquer articulação nos bastidores contra a realização da última rodada. "Estamos atentos aos bastidores. As informações chegam e estamos muito atentos a tudo isso, ninguém vai desmoralizar o tribunal e o campeonato. Se ganha em campo, não existe mais espaço para tapetão. Todos nós estamos muito atentos com tudo isso", explicou.
 
Paralelo a isso, o clube ingressou no STJD com uma manifestação oficial e documentos que, sob a ótica vermelha, confirmam a inscrição irregular de Victor Ramos, zagueiro do Vitória. O Colorado pede que o Vitória perca os pontos em 26 jogos, número de partidas que ele esteve em campo. 
 

Homenagem tardia

 
Nesta sexta-feira, o Internacional prestou homenagens em seu site oficial à Chapecoense. O clube pintou de verde a capa do site com os dizeres de #ForçaChape. Em seguida do acidente que vitimou 71 pessoas, o Colorado já tinha feito uma homenagem aos que passaram pelo clube. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos