Inter entrega pedido de reconsideração ao 'caso Victor Ramos' no STJD

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Buda Mendes/Getty Images

O Internacional entregou, nesta segunda-feira (12), pedido de reconsideração no 'caso Victor Ramos' junto ao STJD (Superior Tribuna de Justiça Desportiva). O ofício solicita que a Procuradoria reexamine a denúncia de suposta inscrição irregular do zagueiro do Vitória.

A entrega ocorreu conforme o anunciado pelos advogados do Inter na última sexta-feira. E diz respeito ao processo 71/2016, iniciado após 'notícia de infração' apresentada pelo Bahia.

Foi neste processo, que chegou a ser arquivado em junho, que o Internacional entrou com pedido para se tornar terceiro interessado e anexou petição com documentos que apontam suposto erro no procedimento de transferência e registro de Victor Ramos. O zagueiro pertence ao Monterrey-MEX e assinou com o Vitória em fevereiro.

Na quinta-feira da semana passada, o sub-procurador do STJD decidiu pelo arquivamento do caso. O Inter pede que a demanda seja analisada pelo procurador Felipe Bevilacqua. Ele tem prazo de três dias úteis para responder, mas ao final do período pode solicitar tempo maior.

Direção indica desistência

Após o empate com o Fluminense na 38ª rodada do Brasileirão, que culminou com o rebaixamento, o presidente do Internacional descartou seguir com a luta nos tribunais para fugir da Série B.

"Estou reconhecendo como justo dentro de campo o rebaixamento. O Internacional vai jogar a Série B do ano que vem com o apoio do seu torcedor", disse Vitorio Piffero. "A legalidade é para todos. Ou nós temos regras que todos cumprem, ou os prejudicados tem todo direito de buscar a Justiça Desportiva. Recordo que em 2005 o Internacional perdeu, ou melhor, deixou de ganhar o Campeonato Brasileiro na Justiça Desportiva. Sim, nós fomos rebaixados. Sim, nós vamos cumprir a Série B com apoio da nossa torcida. Mas eu espero que a Justiça seja cumprida, que as regras sejam iguais para todos. Não sei se existe recurso a este decisão de não examinar a questão", completou.

Nesta segunda-feira, o presidente eleito do Inter seguiu o mesmo tom. E indicou que o clube só seguirá nos tribunais para atestar a veracidade dos documentos anexados na petição que pedia perda de pontos do Vitória.

"Um dos argumentos dados pelo presidente Vitorio Piffero é de que o Inter não pode passar a imagem de ter juntado documento falso. Neste aspecto, a instituição não pode aceitar juntada de documento sem autenticidade. Não só em respeito à história e idoneidade do Inter, mas dos profissionais. Neste aspecto, o Inter tem que lutar por sua grandeza. Enquanto este argumento for adotado pela CBF, o Inter deve discutir e justificar através de medidas cabíveis que atestem a autenticidade e idoneidade do Internacional", falou Marcelo Medeiros.

Denúncia da CBF ainda não andou

Na sexta-feira, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) enviou ofício ao STJD pedindo que um documento anexado pelo Inter fosse desconsiderado. De acordo com a entidade, e-mail atribuído a Reynaldo Buzzoni, diretor de registros, não são verídicos. Além de falar do uso de papeis apontados como falsificados, o ofício pedia que o tribunal repassasse o caso ao Ministério Público do Rio de Janeiro.

De acordo com a assessoria de imprensa do STJD, a solicitação da CBF (de encaminhamento do caso ao MP-RJ) ainda não foi analisada pela Procuradoria e pela presidência. Também não foi dado prazo para posição sobre o tema.

Quer receber notícias do Inter de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos