Rogério Ceni culpa gol de lateral e diz: não vejo temporada ruim

Do UOL, em São Paulo

Apesar do resultado negativo do São Paulo em sua estreia no Campeonato Brasileiro, Rogério Ceni diz manter a confiança no elenco do São Paulo. Após a derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, o treinador aposta na reação da equipe, que foi eliminada nas últimas semanas do Paulistão, da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana.

"Se eu não acreditasse na reação do meu time, eu não poderia estar trabalhando todos os dias. Acredito no potencial de cada um. Na recuperação de alguns que estão no departamento médico, na melhora de alguns que estavam parados. E no caráter, no desejo, de cada um", disse o treinador, que fez um balanço não tão negativo do início de ano do Tricolor.

"Não vejo um começo de temporada tão ruim. Se você for analisar o número de jogos, e derrotas, não é tão ruim. É que foram eliminações de mata-mata e isso chama a atenção. E no jogo de hoje [domingo], equilibrado, com um gol de lateral. Não vivemos nosso melhor momento, do que nos dois primeiros meses, quando jogamos melhor. Perdemos jogadores que tínhamos esperança. O Morato, que trouxemos, o Wellington Nem, que tenho muita esperança. Nossas opções diminuíram. O que foi possível fazer de substituições ofensivas, fizemos. Tentamos o gol a todo custo. Concordo que não é nosso melhor momento. Não vejo uma temporada ruim, os resultados ruins, pontuais, que nos tiraram das competições", argumentou o treinador.

No entanto, Ceni lamentou o fato de o São Paulo ter levado um gol em uma falta de atenção da defesa, após uma cobrança de lateral do Cruzeiro. 

"Não acho que o grupo está abalado por eliminações. Acho que são características de determinados jogadores. Alguns estão um pouco abaixo na parte física devido à lesões e não chegaram ao ápice na forma física. Não vejo desta maneira, mas trabalho psicológico é feito, não vejo assim. Eles sentiram a eliminação, assim como o Cruzeiro. Era uma partida parelha, mas vejo que levamos um gol assim, medonho, em uma bola de lateral. Fora isso, os números foram muito parecidos no jogo", disse o ex-goleiro.
 
"Eu não posso dizer porque foi lado oposto ao que eu estava, mas em tese um jogador não pode escapar livre daquela posição. Não posso ainda dizer se houve falha ou não. Reclamam de duas bolas no campo, a bola rápida, mas isso faz parte do jogo. O jogo é aqui, natural, talvez faltou um pouco mais de atenção nisso", completou o treinador. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos