Vasco x Flu: "perrengue" do Fla faz PM sugerir mudanças em São Januário

Bruno Braz e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Bruno Braz/UOL Esporte

    Funcionário carrega a porta do banheiro destruída em São Januário há pouco mais de um ano

    Funcionário carrega a porta do banheiro destruída em São Januário há pouco mais de um ano

Com um histórico recente de eficácia na logística para as torcidas visitantes em São Januário, o Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios) manterá a estratégia para o clássico deste sábado entre Vasco e Fluminense. A única preocupação que faz com que a Polícia Militar sugira adequações ao Cruzmaltino é em relação aos serviços básicos oferecidos aos torcedores adversários.

A recomendação tem embasamento, já que no clássico do ano passado entre Vasco e Flamengo, dia 14 de fevereiro, pelo Campeonato Carioca, os rubro-negros sofreram com a situação. Houve revolta e quebra-quebra no setor, com banheiro depredado, confronto com a PM e pessoas passando mal.

Na ocasião, o forte calor beirava os 40 graus e foi primordial para o "perrengue" dos flamenguistas. Na parte externa, onde a rua São Januário foi isolada para eles, os donos de bares resolveram fechar suas portas. Na interna, somente uma lanchonete com dois funcionários atendia quase dois mil visitantes.

A falta de água, cerveja e refrigerante gerou revolta e rubro-negros passaram a pular para dentro do bar. Outros mais exaltados quebraram o banheiro, que teve três vasos arrancados, quatro portas destruídas e paredes pichadas (pagos posteriormente pelo Fla). O Gepe entrou em ação e, por conta do spray de pimenta, alguns torcedores passaram mal e tiveram de ser atendidos. No total, 17 foram presos.

"Vão ser recomendadas na reunião com o Vasco [adequações]. Além do bar fixo, eles fizeram um bar de alvenaria em relação ao ano passado. Vamos solicitar também que façam outros pontos de venda de água, de bebida. Já o banheiro é único, mas sempre atendeu tranquilamente, inclusive muitas vezes com torcidas visitantes muito maiores que a do Fla naquele dia. A depredação do banheiro naquele clássico foi de livre e espontânea vontade da torcida do Flamengo", declarou ao UOL Esporte o major Silvio Luiz, comandante do Gepe.

Veja fotos do confronto que marcou clássico com Flamengo há um ano:
Veja Álbum de fotos

Flu avisa que Vasco terá carga reduzida no returno

Mandante da partida, o Vasco optou por realizá-la em São Januário, estádio que, inicialmente, por medidas de segurança das autoridades, só poderia receber clássicos no formato 90% (dono da casa) e 10% (visitante). Nos últimos dias, porém, o Gepe sugeriu que a carga dos tricolores fosse diminuída para 5% em função de mudanças na capacidade do local.

"A decisão foi em cima de um estudo feito dos clássicos do ano passado e que também tem sido aplicada em vários estados. Este ano teve um aumento da carga de ingressos de São Januário, que o Vasco conseguiu junto aos Bombeiros. Então achamos por bem solicitar a diminuição da carga de ingressos de visitantes para poder fazer o isolamento interno, externo e a escolta da torcida do Fluminense com maior segurança. Dentro do estádio se faz necessário um afastamento, uma área morta para que os policiais possam transitar", explicou o major Silvio Luiz.

Presidente do Fluminense, Pedro Abad acatou as decisões, mas já avisou que, no returno, o mesmo formato será aplicado quando o Tricolor for o mandante.

"Fiz uma reunião com o Major Silvio, uma pessoa extremamente educada e com a mente aberta. Perguntei as razões e ele me explicou que em São Januário e na Arena da Ilha os visitantes terão 5%. O Vasco tem o direito de utilizar as armas que ele acha mais adequadas para ganhar o jogo, mas no segundo turno vai ser 10% para a torcida do Vasco e 90% para a do Fluminense", disse Abad.

A logística

A ideia do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios é repetir a logística que conseguiu conter qualquer tipo de confronto entre torcidas rivais nos jogos do Vasco contra o Corinthians - em 2015, quando o clube paulista disputava o título brasileiro e os cariocas brigavam para não cair – e Flamengo, em fevereiro do ano passado pelo Estadual.

O Gepe irá escoltar as organizadas tricolores, de um ponto a ser combinado, até São Januário e isolará a rua que leva o mesmo nome. "Só vai poder acessar o torcedor de porte de ingresso do Fluminense", avisou o major Silvio. Após o término da partida, a torcida do Fluminense terá de aguardar cerca de 40 minutos para pode deixar o estádio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos