Palmeiras trabalha para afastar pressão de alto investimento da Crefisa

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Cuca quer afastar a pressão em relação ao alto investimento da patrocinadora

    Cuca quer afastar a pressão em relação ao alto investimento da patrocinadora

Os mais de R$ 100 milhões gastos pela Crefisa neste ano, boa parte em contratações, resultaram em uma pressão ainda maior no Palmeiras. Fora a responsabilidade de atuar por uma das maiores equipes do país, os jogadores – tanto os recém-chegados quanto os campeões brasileiros no ano passado – convivem com a cobrança acima da encontrada no ano passado, e internamente este assunto tem incomodado.

A derrota por 2 a 0 para o São Paulo, em clássico disputado no Morumbi, veio carregada por perguntas em relação ao rendimento aquém do time no clássico. Com um novo compromisso 'grande' marcado para quarta-feira – Inter, em Porto Alegre, pelas oitavas de final da Copa do Brasil -, a comissão técnica destinará parte da preparação à psicologia.

"Todo mundo fala: 'o Palmeiras gastou milhões, gastou milhões e tem que ganhar'. Tento tirar esse peso, porque no futebol não existe isso. Tem de ter regularidade maior nas competições, que são muitas", discursou o técnico Cuca, que usa as vendas de atletas para justificar o alto investimento.

"Se Palmeiras gastou milhões, é porque arrecadou milhões. Vendeu um por tantos milhões [Gabriel Jesus, R$ 114 milhões], outro [Vitor Hugo, R$ 27milhões] semana passada por mais tanto, e nem gastou tudo isso", acrescentou Cuca, antes de blindar o elenco novamente, já que novos reforços devem chegar ainda nesta temporada.

"Ainda temos necessidade, e vão falar 'pô, mais um!'. Está tudo dentro do orçamento. A minha área aqui é melhorar e fazer o time jogar melhor", completou o treinador responsável por tirar a pressão de 22 anos sem títulos brasileiros do Palmeiras no ano passado.

A equipe alviverde ainda está atenta ao mercado. Com as saídas de Rafael Marques (para Cruzeiro) e Alecsandro (para Coritiba), Cuca procura um novo atacante para reforçar o setor. Há apenas o artilheiro Willian e Miguel Borja, que saiu do banco contra o São Paulo para atuar 15min, para a função mais ofensiva da equipe.

Cuca passou uma lista de nomes para a diretoria, que avalia a viabilidade de um novo investimento para a fase de mata-mata da Copa Libertadores, o principal objetivo da equipe na temporada. Recentemente, o clube fez consulta pelo argentino Calleri, mas barrou na preferência do atleta de seguir no futebol europeu.

Dos recém-chegados, Juninho acumula dois jogos no Brasileirão, enquanto o ex-vascaíno Luan atuará apenas no segundo semestre – o zagueiro se recupera de uma cirurgia no pé direito. Mayke, por outro lado, estreou justamente na derrota para o São Paulo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos