Três falhas em dois jogos: Prass admite incômodo e recebe apoio de Jailson

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Ale Cabral/AGIF

    Fernando Prass considerou-se responsável pela derrota no clássico de sábado

    Fernando Prass considerou-se responsável pela derrota no clássico de sábado

Principal ídolo do palmeirense no atual elenco, Fernando Prass termina a semana questionado. Três falhas em duas partidas – uma contra o Atlético Tucumán-ARG e duas contra o São Paulo – geraram críticas externas e uma frustração interna do próprio goleiro, incomodado com os erros nos compromissos do Palmeiras realizados na semana passada.

Apesar da experiência e do longo tempo de carreira, o veterano ainda se permite incomodar com os erros individuais, especialmente quando são decisivos para um resultado negativo, como no clássico do último final de semana contra o São Paulo, no Morumbi.

"Chateado, é claro que eu vou ficar; não tem como passar uma borracha. Tenho que entender e enfrentar isso, saber lidar. Tenho uma certa experiência, e a vivência de carreira me deu estas situações. Não é a primeira vez que passo por isso", afirmou o goleiro.

Prass é sincero e atribuiu a si a responsabilidade pelo resultado negativo diante do São Paulo. Mesmo com a defesa de Cuca e Dudu, que relevaram os lances do goleiro contra o arquirrival, o goleiro procurou assumir a culpa pelo revés e poupar o restante dos jogadores.

"Tenho quase 39 anos, tenho 900 jogos na carreira, então tenho uma condição de avaliar o que é um erro meu. Com a idade que tenho, tenho uma autocrítica de saber qual é a minha qualidade. Obvio que vem uma frustração", disse o goleiro palmeirense.

"Sou um cara que trabalha muito, e por trabalhar muito, quando vem o erro, por fazer de tudo para não errar, tu ficas chateado. Por serem gols que dentro da minha avaliação poderia evitar", acrescentou Fernando Prass.

As declarações de Cuca e Dudu reforçam o apoio recebido pelo camisa 1 no próprio Estádio do Morumbi. O apoio maior, neste caso, vem de quem conhece na pele a dificuldade da profissão de goleiro; no caso, Jailson, titular durante a maior parte do Brasileiro do ano passado e agora reserva novamente do veterano de 39 anos.

"Goleiros sabem como é nosso dia a dia. Até por isso a gente é bem parceiro nesta situação. O pessoal fica chateado pela a gente, sei disso", comentou o goleiro palmeirense.

Fernando Prass mostra alívio pela possibilidade de dar a resposta já na próxima quarta-feira. Neste meio de semana, a partir das 21h45 (de Brasília), o Palmeiras decide uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil diante do Internacional, no Beira Rio – no primeiro jogo, o clube alviverde venceu por 1 a 0.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos