Vasco explica expulsões de torcedores que acusaram seguranças de agressão

Do UOL, no Rio de Janeiro

A insatisfação dos torcedores com a derrota do Vasco para o Corinthians, na última quarta, terminou com suposta agressão de seguranças a torcedores do clube. Nesta quinta-feira, o Cruzmaltino emitiu nota oficial explicando todo o entrevero. Segundo a explicação, os funcionários "foram obrigados a intervir para retirar dali os que ofendiam, já que o tumulto ameaçava se estender".

Ainda segundo a nota oficial, o tumulto tem total ligação com as eleições no fim do ano. "Acontece que em ano eleitoral grupos se organizam para manipular a espera de um resultado ruim. Na noite de quarta-feira um grupo de aproximadamente 10 torcedores esperou o fim da partida para ofender e xingar dirigentes e sócios".

Por fim, o Vasco afirma que terá que rever o sistema de segurança e diz que sempre garantirá a segurança dos torcedores que forem a São Januário para os jogos da equipe.

Entenda o caso

Tudo começou logo em seguida ao quinto gol corintiano. Uma parte considerável da torcida passou a entoar o cântico "Eurico, vai se f...! O nosso Vasco não precisa de você!". Passados alguns minutos, uma grande pancadaria tomou conta da arquibancada, mais precisamente atrás do gol, onde se situa uma organizada. No setor social, o que se viu foi um empurra-empurra e muita gritaria.

Nos vídeos desta reportagem, há registros da confusão tanto dentro quanto fora do estádio. Internamente, é possível identificar funcionários do clube, seguranças particulares (stewarts) e torcedores discutindo e se empurrando. Em duas das gravações, o autor alega que o tumulto se originou após os protestos contra Eurico.

Há ainda a imagem de um torcedor sendo carregado já na parte externa da entrada principal, na rua General Almério de Moura (primeiro vídeo). Ele teve de ser encaminhado para um hospital após levar um soco no rosto. Abordado pela reportagem, o jovem não quis se identificar. Apenas uma pessoa foi presa e liberada após assinar um termo circunstanciado.

Não foi a primeira acusação de agressão

Esta não foi a primeira vez que torcedores acusam seguranças do Vasco de agressão em São Januário. Na véspera da estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Palmeiras, em São Paulo, o clube abriu o treinamento para o público e, segundo relatos de testemunhas, um cruzmaltino que estava xingando o vice de futebol Eurico Brandão, o Euriquinho, filho de Eurico Miranda, foi agredido.

Veja nota do Vasco na íntegra:

O Club de Regatas Vasco da Gama reafirma que não compactua com a violência em ambiente esportivo. A social do Vasco é um ambiente familiar, de congregação dos sócios e permanecerá assim.

Acontece que em ano eleitoral grupos se organizam para manipular a espera de um resultado ruim. Na noite de quarta-feira um grupo de aproximadamente 10 torcedores esperou o fim da partida para ofender e xingar dirigentes e sócios. Com a confusão entre pessoas que estavam nas sociais, seguranças do clube foram obrigados a intervir para retirar dali os que ofendiam, já que o tumulto ameaçava se estender.

Alguns desses torcedores já haviam sido vistos em outras partidas, mas os resultados favoráveis impediram que a ação prevista fosse concluída.

Imagens divulgadas nas redes sociais são editadas para que exista apenas uma versão. Nos vídeos divulgados até agora não há imagens de agressão dos seguranças, mas sim a tentativa de retirar os que iniciaram os xingamentos. Entre os que ofenderam estão integrantes da equipe de futebol americano Vasco Patriotas que usaram a força física que possuem .

O Vasco se compromete a analisar e aperfeiçoar seu sistema de segurança, mas o objetivo será sempre o de garantir a respeitabilidade e a convivência entre os sócios, independente do pensamento ou alinhamento de qualquer um deles.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos