Cuca vê momento delicado do Palmeiras e reconhece: "Estamos em deficit"

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • DANIEL CASTELLANO/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

    Cuca encara o confronto de sábado como 'decisão'

    Cuca encara o confronto de sábado como 'decisão'

São quatro rodadas sem vitórias e um desempenho de resultados muito abaixo do esperado para o atual campeão brasileiro. O Palmeiras se encontra longe do ideal e precisa imediatamente correr atrás do prejuízo, pelo menos esta é a visão apresentada por Cuca. O treinador admitiu o peso do atual momento e cobrou uma reação imediata.

"Temos que trabalhar o nosso time e o que temos aqui; tentar vencer este jogo para sair desta situação. Temos uma sequência difícil: Fluminense agora, depois Santos e Bahia fora de casa. É um momento delicado, temos que fazer o melhor com o que temos aqui", disse Cuca, em entrevista concedida na Academia de Futebol.

"Jogamos três jogos fora com São Paulo, Chape e Coritiba; perdemos todos os três. Jogamos duas partidas em casa, vencemos o Vasco e empatamos com o Atlético-MG. Logico que está longe do que a gente pensa, quatro jogos que não marcamos um gol; estamos em déficit", reconheceu o comandante.

Cuca tem uma explicação para o mau momento palmeirense neste início de Brasileirão. Novamente, o treinador questionou o nível das finalizações da equipe, como já fizera depois da derrota para o Coritiba na última quarta-feira – 1 a 0, no Couto Pereira.

"Finalizamos 12 ou 13 por jogo e não tem feito os gols, tem perdido os lances mais claros durante a partida. Vemos até os adversários, tem 7, 8 ou 9 e fazem três, quatro, cinco, seis gols, estão em momento de finalização bom. Nosso momento não é bom em cima de finalizações e tem que ter mais concentração, fazer o gol quando aparecer a oportunidade", recomendou.

Mesmo com problemas no ataque, ao contrário das últimas semanas, Cuca evitou a cobrança pela chegada de novos nomes. Quando citado o nome de Richarlison, alvo palmeirense no mercado, destaque do Fluminense e adversário no sábado, o treinador se mostrou incomodado.

"Vamos jogar amanhã com o Fluminense. Tenho respeito enorme pelo Abel e pelo Fluminense. Todo jogo tem caráter decisivo, última coisa que quero falar é de jogador que vai jogar contra nós amanhã", afirmou.

"O que estiver acontecendo não vem ao caso por respeito a todos que estão envolvidos. Temos que trabalhar o nosso time e o que temos aqui", encerrou o treinador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos