Sem categoria? Romero brinca em domínio e segue voto de silêncio corintiano

Dassler Marques e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

Se não bastasse o gol que abriu caminho para a vitória do Corinthians por 3 a 2 sobre o São Paulo, Ángel Romero ainda viveu outro momento especial no último domingo. Em uma bola de difícil domínio no segundo tempo, o atacante paraguaio ajeitou com precisão e fez graça enquanto a torcida presente na Arena aplaudiu, extasiada (veja o lance mais abaixo).

O que pode parecer um lance simples, na verdade, resume a dificuldade enfrentada por Romero nos últimos dias. Alvo de brincadeiras por supostamente não saber dominar a bola, que aumentaram depois de reportagem feita pela TV Globo, ele cresceu de produção após os episódios recentes. A situação também uniu o grupo, o que Jadson explicou depois da vitória.

"O Romero é querido por todos. Ele trabalha muito sério, dentro de campo tem um comprometimento muito grande com a equipe. Isso que é importante. As críticas sempre vão haver em algum momento na vida do profissional. Tem que saber absorver. Ele soube. Isso é importante para ele e para o grupo", disse o meia, hoje o atleta mais experiente do time.

O domínio para lá de curioso, em virtude da brincadeira de Romero, foi tema no vestiário pós-jogo. "A gente comentou, foi um domínio bonito. Ele matou e a bola ficou parada. As brincadeiras às vezes acontecem, mas o Romero é o novo e já um pouco experiente. Tem bagagem, vai na seleção paraguaia. Ele tem entrado confiante, sabe absorver isso", explicou ainda Jadson.

"Quando tem um pouco de desconfiança da torcida, o jogador precisa do apoio de todo mundo. Ele é querido de todo o grupo e fico feliz por ele fazendo os gols", complementou o colega, que serviu como porta-voz justamente porque Romero ainda parece lamber as feridas em razão das brincadeiras recentes.

Chamado por jornalistas para dar entrevistas na saída do gramado e também na saída do estádio, Romero preferiu seguir seu voto de silêncio como protesto pelo que considera ter sido falta de respeito. Esse respaldo, por outro lado, não falta dentro do vestiário e também com a comissão técnica e diretoria.

O trabalho para que ele retornasse rapidamente do Peru para o Brasil na sexta-feira foi elogiado pelo treinador Fábio Carille, que assim conseguiu ter o atacante no treinamento de sábado e no clássico. No momento em que Clayson havia sido um dos destaques na vitória por 5 a 2 contra o Vasco, quarta passada, Carille não hesitou em demonstrar que Romero é hoje um jogador essencial para seu trabalho.

Romero fala apenas para a TV oficial do Corinthians

Daniel Vorley/AGIF
Romero anotou gol corintiano no clássico

Esse foi o segundo clássico seguido em que Romero marcou, o que o coloca ainda à frente como principal artilheiro da história do estádio corintiano, com 20 gols. Ele agradeceu muito pelo apoio das arquibancadas.

"Aqui praticamente já é minha casa. Sou muito feliz aqui e estou cada vez mais confiante. Sinto o apoio da torcida que é muito importante, estou muito bem, obrigado a todos, minha família e à torcida do Corinthians que está sempre apoiando", declarou.

"Sinto o que todo jogador quer, que a torcida respeite seu trabalho. Você trabalha para que a torcida goste e fique feliz por isso. Aceitam o meu trabalho e isso é muito legal para um jogador, o reconhecimento da torcida", disse Romero.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos