"Acadêmico" Coritiba encara Bahia sonhando com a ponta do Brasileirão

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Comunicação CFC

    Henrique Almeida: alerta contra retrancas no Couto Pereira

    Henrique Almeida: alerta contra retrancas no Couto Pereira

Não são apenas os números que mostram que o Coritiba de 2017 ainda pode surpreender mais no Brasileirão. O discurso de seus atletas demonstra também como o departamento de futebol do Coxa debate o jogo. A partida de quinta, contra o Bahia às 16h no Couto Pereira, promete ser um embate de estratégias e ainda pode render a ponta da tabela. O jogo será depois do duelo entre Corinthians e Cruzeiro. A liderança poderá estar disponível ao menos até a noite da própria quinta, quando o Grêmio visitará o Fluminense.

"O futebol está muito rápido. Ano passado era diferente, mais toque de bola. Nesse ano os times todos estão no contra-ataque. Essa semana vamos trabalhar sobre o Bahia e tentar ver os erros deles", analisou o lateral Dodô, atento a dinâmica das partidas no Brasileirão deste ano.

Para que o Coxa possa celebrar a ponta, os jogadores precisam superar uma equipe que vendeu caro a derrota na última rodada, contra o Grêmio. Após seis rodadas, o Bahia é oito ou oitenta: ganha em casa e perde fora. Mas mostrou força no Sul do País, o que faz com que Henrique Almeida tenha uma leitura sobre a tensão dos jogos, que poderá partir das arquibancadas. "O torcedor precisa ter um pouco de paciência também, pelo desempenho que a gente vem tendo, acho que as equipes vão vir mais ligadas, mais fechadas aqui dentro do Couto", disse o atacante, autor de um dos gols no empate com o Botafogo (2 a 2) na última rodada.

Um dos méritos deste Coritiba é jogar de forma igual em qualquer campo, sabendo propor o jogo quando tem a posse de bola e com rápida recomposição quando a perde. "A gente tem que procurar estudar os adversários, mas como eu disse em uma entrevista, a gente tem que ter um padrão de jogo tanto dentro quanto fora", disse Almeida. Até aqui, as atuações têm garantido dois índices importantes: o de melhor defesa do campeonato e o de segundo time que mais finaliza corretamente a gol. O problema é que o primeiro neste índice está do outro lado. O Bahia é justamente o time que mais arremata a gol com boa pontaria: 40 chutes contra 38 do Coxa.

"Nosso elenco é muito bom, tem peças de reposição. Então a gente pode ir até o limite que sabe que quem vai entrar vai dar conta do recado", disse o atacante, que relembrou ainda o ponto de partida para a arrancada que hoje dá destaque ao Coritiba em todo o Brasil: a derrota para os reservas do Atlético-PR no Estadual, quando Pachequinho assumia a equipe que viria a ser campeã do Paraná e agora disputa a liderança no nacional. "São momentos distintos. Pra chegar onde a gente chegou agora, tem que passar pelo primeiro. Mas é uma evolução", afirmou.

No Tricolor, o desafio é manter o elogiado trabalho de Guto Ferreira, que trocou o Bahia pelo Internacional, atualmente na Série B. Jorginho chegou e o time seguiu jogando bem, vencendo Atlético-GO e Cruzeiro em casa e fazendo jogo duro com o Grêmio fora. "Não podemos sentir o golpe e temos que continuar jogando bem, e buscar vencer fora de casa", pediu Jorginho.

CORITIBA X BAHIA

Data: 15 de junho de 2017, quinta-feira
Horário: 16h (de Brasília)
Motivo: 7ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Fabrio Rodrigo Rubinho (MT) e Marcelo Grando (MT)

CORITIBA: Wilson; Dodô, Werley, Márcio e Thiago Carleto; Alan Santos, Matheus Galdezani e Tiago Real; Henrique Almeida, Kleber e Rildo
Técnico: Pachequinho.

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca (Rodrigo Becão) e Matheus Reis; Renê Júnior, Edson (Juninho), Vinicius e Zé Rafael; Allione e Edigar Junio.
Técnico: Jorginho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos