Prass sobe o tom sobre renovação na véspera do seu clássico mais marcante

Danilo Lavieri e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Fernando Prass volta a encarar o Santos, rival de lembranças inesquecíveis

    Fernando Prass volta a encarar o Santos, rival de lembranças inesquecíveis

O mês de junho se tornou fundamental para Fernando Prass. Tratado como ídolo do torcedor palmeirense, o goleiro quer recuperar o alto nível depois de falhas contra São Paulo e Atlético Tucumán-ARG, em maio. Paralelamente, ensaia a definição do seu futuro, já que está perto do encerramento de seu contrato. No meio destas duas questões, tem um clássico contra o Santos, rival estadual mais marcante nestes cinco anos de Academia de Futebol.

Superado o curto período de desconfiança e de falhas, Fernando Prass mostrou a velha forma na vitória do fim de semana contra o Fluminense, quando teve boa atuação. A recuperação em campo dá força para a discussão sobre o futuro, já que o goleiro segue aguardando um posicionamento da diretoria para negociar a continuidade na Academia de Futebol.

O contrato de Prass acaba no fim do ano. A partir de julho, então, ele pode ouvir propostas e assinar um pré-contrato com outro clube. O goleiro se mobilizou fora das quatro linhas e destinou um empresário (Giuseppe Dioguardi, agente de Kleber 'Gladiador' e Paulo Henrique Ganso) para cuidar de sua situação.

O veterano de 39 anos, que planeja jogar por pelo menos mais um ano, se diz tranquilo com a indefinição com o Palmeiras, ainda mais pela boa relação com a diretoria, com o presidente Mauricio Galiotte e o diretor de futebol Alexandre Mattos. Na última terça, no entanto, transpareceu certo incômodo com a situação e subiu o tom ao falar que preferia já ter sua situação definida. 

"Tenho bastante tempo de futebol e 39 anos de idade; são 20 anos de profissional. Todo jogador, sendo ele novo por querer ter uma estabilidade, seja mais velho por planejamento de família, prefere ter uma situação definida e um contrato mais longo. As coisas no futebol às vezes não andam sempre da mesma maneira, da maneira que você quer", discursou o goleiro, que ainda não havia sido tão incisivo assim ao falar da indefinição. 

Duelo contra o rival mais marcante

Em meio a tudo isso, a ideia é focar no campo e manter o alto nível do último fim de semana. Nesta quarta-feira, a partir das 21h45 (de Brasília), na Vila Belmiro, ele será testado contra o adversário das suas melhores lembranças no clube – inclusive recentes, como a vitória por 2 a 1 no Paulistão, na Baixada Santista, em março.

"Tenho alguns jogos que me marcaram muito aqui no Palmeiras, mas sem dúvidas este está entre os melhores, até pelo resultado. Está entre os meus grandes jogos no Palmeiras", sentenciou o goleiro, que teve grande atuação na ocasião. 

"Este jogo contra o Santos foi muito atípico; fui muito mais exigido, mas mesmo assim consegui manter a nossa média de gols, afinal estamos tomando pouco gols", dissera há pouco menos de três meses, quando o Palmeiras ainda era comandado por Eduardo Baptista.

Impossível não relacionar a trajetória de Fernando Prass com o Santos, especialmente a fase vitoriosa; ou o 'filé mignon', como gosta de ressaltar o goleiro. Nos últimos dois anos, o clube alvinegro tornou-se rival direto palmeirense na briga por taças, e as duas mais importantes ficaram nas mãos do camisa 1.

Montagem BOL / Reprodução/Twitter
Oliveira: 'homenageado' pelos palmeirenses

Tudo começou no Campeonato Paulista de 2015, quando o Santos venceu a taça sobre o Palmeiras, nos pênaltis. Dali, nasceu uma rivalidade direta com Ricardo Oliveira, que comemorou com uma careta um gol anotado sobre o goleiro no Brasileirão daquele ano.

Embora o camisa 9 santista – desfalque no duelo desta quarta-feira - negue qualquer provocação, o Palmeiras incorporou para si o tom jocoso da celebração. No título da Copa do Brasil, conquistado semanas depois da 'careta' e com Prass definindo o título na cobrança de pênaltis, jogadores imitaram o centroavante, que ganhou homenagem até com máscara.

Os duelos da Copa do Brasil potencializaram a já existente rivalidade entre os dois clubes, que cresceu no ano de 2016. Ano passado, os dois times definiram – novamente nos pênaltis – uma vaga na final do Estadual; Prass, desta vez, saiu como vilão ao errar uma cobrança na Vila Belmiro.

No Brasileiro, o Santos se apresentou como perseguidor ao título palmeirense. Foi o vice-campeão e terminou invicto contra o clube alviverde – empate por 1 a 1 no Allianz Parque e vitória por 2 a 1 na Vila Belmiro, em jogo, este, sem a presença do goleiro de 39 anos.

A retomada veio no Campeonato Paulista deste ano, em uma das melhores atuações da carreira com a camisa verde, segundo visão do próprio Prass. Novamente na Vila, se mantiver o alto nível e embalar novo jogo com defesas expressivas, o goleiro dá mais um passo para convencer a diretoria a iniciar as conversas pela renovação.

FICHA TÉCNICA
SANTOS x PALMEIRAS

Local: Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro), em Santos (SP)
Data: 14 de junho de 2017 (quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires e Leone Carvalho Rocha (ambos de GO)

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz (Matheus Ribeiro), Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia, Lucas Lima, Vitor Bueno e Bruno Henrique; Kayke
Técnico: Levir Culpi.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean (Fabiano ou Mayke), Edu Dracena, Juninho e Zé Roberto (Egídio); Thiago Santos, Tchê Tchê e Alejandro Guerra; Róger Guedes, Willian e Keno.
Técnico: Cuca.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos