Atlético-MG luta contra velho retrospecto e tenta não repetir marca de 2011

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Derrota para o Atlético-PR colocou o Atlético-MG pela segunda vez na zona de rebaixamento

    Derrota para o Atlético-PR colocou o Atlético-MG pela segunda vez na zona de rebaixamento

Em 2003 o Campeonato Brasileiro passou a ser disputado por pontos corridos. A mudança de fórmula aconteceu durante um dos piores momentos da história do Atlético-MG. Se entre 1971 e 2002 o time alvinegro foi o que mais disputou semifinais da competição, que contou com diversas fórmulas, quase sempre com decisão em mata-mata. Porém, entre 2003 e 2011 o Atlético sequer conseguiu chegar entre os seis primeiros colocados.

Rebaixado em 2005, a mudança de resultados aconteceu em 2012, quando foi vice-campeão. A partir de então o clube sempre apareceu na parte de cima da classificação. O pior desempenho foi em 2013, quando terminou na oitava colocação, mas numa temporada em que foi campeão da Copa Libertadores e claramente deixou o Brasileirão de lado.

Portanto, desde 2011 que o Atlético não sabe o que é ficar muito tempo entre os últimos colocados do Brasileiro. Naquele ano, o clube alvinegro se livrou do rebaixamento na penúltima partida da competição, em que passou 15 rodadas nas quatro últimas colocações. Entre 2012 e 2016 o Atlético passou somente quatro rodadas na zona da degola, sempre nas primeiras rodadas. Isso aconteceu na quinta rodada do Brasileiro de 2013, na terceira rodada de 2014 e nas rodadas sete e oito do ano passado.

Neste Brasileirão, após sete jogos, o Galo está novamente na zona do rebaixamento. Pela segunda rodada, não consecutiva. Com seis pontos e apenas uma vitória, só tem uma possibilidade de o Atlético não terminar a rodada mais uma vez nas últimas colocações. A equipe de Roger Machado precisa vencer. Caso isso não aconteça, contra o São Paulo, neste domingo, às 16h, no Morumbi, o Atlético voltará a ficar três rodadas dentro da zona de rebaixamento, o que não acontece há seis anos.

"Jogo fundamental, para que a gente possa retomar o caminho de vitórias, nossa confiança e para sairmos dessa zona desconfortável. E um clássico, tudo pode acontecer. São duas grandes equipes e é um jogo decidido em detalhes. Temos de atento a tudo isso, para evitar surpresas", disse o goleiro Victor, que não esconde o incomodo de ver o Atlético na zona do rebaixamento.

Como o Atlético venceu apenas uma vez, nem mesmo o empate é suficiente para o time atual não repetir uma marca negativa que não acontece desde 2011, pois Atlético-GO e Atlético-PR se enfrentam, em Goiânia. Assim, resta ao Galo vencer São Paulo e torcer contra alguns dos adversários que estão acima, para terminar a rodada fora da zona do rebaixamento.

"Como sair dessa situação? Da forma inversa que nós nos inserimos nela. Vencer nossos compromissos e fazer do nosso fator local um fator determinante, como foi no primeiro semestre, e buscar pontos fora, independentemente do adversário que formos enfrentar. É um trabalho de muito esforço e dedicação. Da mesma forma que entramos juntos, temos de sair juntos", analisou o técnico Roger Machado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos