Ele faz falta? Atlético-MG reencontra Pratto em momento de baixa do ataque

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Pratto disputou três jogos pelo Atlético-MG em 2017, antes de ser vendido para o São Paulo

    Pratto disputou três jogos pelo Atlético-MG em 2017, antes de ser vendido para o São Paulo

Mesmo contando com nomes de peso para o setor ofensivo, o Atlético-MG sofre com a falta de gols no Campeonato Brasileiro. Em sete rodadas, a equipe alvinegra marcou apenas cinco gols. Robinho, Rafael Moura e Fred marcaram um gol cada. Gabriel e Elias completam a lista. Muito pouco para que tem tanto poder ofensivo. E neste domingo, contra o São Paulo, às 16h, no Morumbi, o Atlético se reencontra com Lucas Pratto.

O argentino vestiu a camisa 9 do clube por pouco mais de dois anos. Foram 42 gols marcados em 107 jogos, o que faz do centroavante o jogador estrangeiro que mais vezes marcou pelo Atlético. Pratto foi campeão mineiro, em 2015, e chegou perto de dois títulos nacionais, sendo vice-campeão do Brasileirão de 2015 e da Copa do Brasil do ano passado.

E com o ataque devendo no Campeonato Brasileiro, o duelo com Pratto ganha ainda mais destaque. Como conhecem bem o argentino, os jogadores do Atlético sabem que vai ser preciso um esforço maior para anular o centroavante do São Paulo. Para o goleiro Victor, embora os dois lados se conheçam bem, é pior para o Atlético, que vai enfrentar um artilheiro de muita qualidade.

"É pior pela qualidade ele, que é um bom jogador. Cada jogo tem uma história e a gente tem que buscar a nossa estratégia para pará-lo, porque a gente sabe do potencial dele e o que pode fazer no jogo", comentou o camisa 1, que era um dos grandes amigos de Pratto na Cidade do Galo.

Com três gols no Brasileirão, o mesmo número de tentos de todos os atacantes do Atlético juntos, Lucas Pratto já avisou que não vai comemorar caso balance as redes do Atlético. A relação construída em pouco mais de dois anos faz com que o jogador argentino tenha um carinho especial pelo clube mineiro.

"Todo mundo sabe como o Atlético-MG é especial. É uma questão de respeito para o clube que me abriu as portas no futebol brasileiro. Obviamente quero fazer gol, mas se fizer, acho que não vou comemorar".

Porém, essa baixa no ataque acontece apenas no Campeonato Brasileiro. Nas demais competições, o Atlético tem mostrado a força de seu ataque. Na Libertadores, por exemplo, foi o saldo de gols que deu ao clube mineiro a melhor campanha da fase de grupos. Na temporada inteira, Fred é um dos goleadores do futebol brasileiro, com 19 gols marcados, contra dez de Lucas Pratto pelo São Paulo.

E ambos atuaram juntos no ano passado. Fred foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro, enquanto Pratto era o titular na Copa do Brasil. Neste reencontro, o atual centroavante do Atlético acredita que seus companheiros de defesa vão levar a melhor.

"A gente sabe do estilo dele, das características. Sabemos que está em um excelente momento. É um jogador perigoso, que também conhece a nossa zaga, nosso meio de campo. Nessa disputa do Pratto com a nossa equipe defensiva, é um jogo equilibrado", disse Fred, que foi poupado contra o Atlético-PR e retorna ao Atlético diante do São Paulo.

Com cinco gols marcados em sete rodadas, o Atlético tem o pior desempenho defensivo desde que o Brasileirão passou a ser disputado por pontos corridos. Antes desta temporada, a pior marca era de 2014, quando a equipe comandada por Levir Culpi havia marcado oito gols em sete rodadas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos