Palmeiras encara cenário adverso na BA e mantém "laboratório" no Brasileiro

Do UOL, em São Paulo

  • Jeferson Guareze/Agif/Estadão Conteúdo

    Cuca tem usado o Brasileirão como laboratório para encontrar time ideal

    Cuca tem usado o Brasileirão como laboratório para encontrar time ideal

Se no Campeonato Brasileiro a situação do Palmeiras não é confortável, quando o torcedor olha para os confrontos disputados fora de casa o problema aumenta ainda mais. Mais do que ter perdido as quatro partidas que atuou longe do Allianz, a equipe de Cuca nem sequer marcou um gol quando não jogou como mandante. Acha que está ruim? Vai piorar.

O Bahia, adversário deste domingo, a partir das 16h, está entre os líderes do mandante. São três vitórias em três jogos, uma incrível média de mais de três gols por partida e uma defesa difícil de ser batida: apenas dois gols sofridos.

Cuca sabe de todas as dificuldades que enfrentará na Arena Fonte Nova. Por isso, mudou a programação de sua equipe e viajou com antecedência. Foram dois treinos realizados em Salvador sem as presenças de Zé Roberto e Edu Dracena, que foram poupados, e Dudu e Felipe Melo, que estão no departamento médico. Em contrapartida, o técnico ganha a opção de escalar Yerri Mina e Miguel Borja, que voltaram dos compromissos pela seleção colombiana.

"Todos nós podemos nos doar mais. Mas não posso me queixar de nada deles, da entrega. É uma questão de tempo para voltar a vencer. Tomara que seja domingo, mesmo sabendo que aqui é difícil, e que o Bahia tem jogado muito bem aqui", analisou o treinador.

"Nós temos nove jogos por mês daqui para frente e precisamos entender que não é fácil manter o alto nível em todos os jogos", completou.

No Brasileirão, Cuca já fez diversos testes. O treinador, inclusive, não esconde que seu objetivo em 2017 é conseguir conquistar o título de um dos mata-mata. A Libertadores, claro, é a prioridade, e a Copa do Brasil vem em seguida.

Até por isso, não é impossível que o técnico volte a promover testes no jogo deste domingo. No jogo diante do Santos na última quarta-feira, por exemplo, ele escalou Juninho como lateral esquerdo e Zé Roberto no meio-campo.

Nos dez jogos em que esteve à frente do Palmeiras desde o seu retorno, ele só escalou a mesma equipe em uma ocasião: nos dois primeiros encontros. De lá para cá, foram diferentes times, com direito a vários atletas coringas. 

O laboratório serve para que o técnico consiga escalar o melhor que tem dentro do elenco no próximo dia 5 de julho, diante do Barcelona-EQU, nas oitavas de final da Libertadores.

"A gente tem que estar entre os primeiros do Campeonato Brasileiro para nos certificarmos de uma participação na Libertadores do ano que vem – essa é uma meta nossa. E uma meta maior ainda é buscar o título da Copa do Brasil ou, se Deus quiser, o da Libertadores", finalizou.

Do outro lado, Jorginho também terá problemas para escalar a equipe. Ele não vai ter o suspenso Edson, além de não poder usar Allione e Matheus Sales, são emprestados pelo Palmeiras e não jogarão por cláusulas contratuais. 

FICHA TÉCNICA
BAHIA X PALMEIRAS

Data:
18 de junho, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques - PR (FIFA)
Assistentes: Bruno Boschilia - PR (FIFA) e Victor Hugo Imazu dos Santos - PR (CBF)

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus (Armero); Renê Júnior e Juninho; Régis, Zé Rafael e Vinícius; Edigar Junio
Técnico: Jorginho

PALMEIRAS: Prass; Mayke, Yerry Mina, Antônio Carlos e Juninho; Thiago Santos, Tchê Tchê e Guerra; Roger Guedes, Keno e Willian
Técnico: Cuca 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos