Incomodado com resultados, Cruzeiro já vive pior mês do ano em números

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Apesar de alguns bons jogos, Cruzeiro só venceu uma partida em junho até agora

    Apesar de alguns bons jogos, Cruzeiro só venceu uma partida em junho até agora

O mês de maio foi embora e carregou com ele duas eliminações amargas para o Cruzeiro. Além de ter perdido o título estadual para o rival Atlético-MG, o clube deixou precocemente a Copa Sul-Americana dias depois, iniciando uma turbulência após o começo de ano positivo. Contudo, o que se viu nos 30 dias seguintes não foi muito diferente. Em junho, o clube não repetiu as quedas em outras competições e avançou às quartas de final da Copa do Brasil. O desempenho irregular, porém, rendeu tropeços inesperados, a ponto de deixarem a equipe com sua pior pontuação dentro de um mês na temporada 2017.

Mesmo se vencer o Coritiba, neste domingo, o Cruzeiro não baterá a pontuação do mês anterior. Em maio, a equipe somou apenas dez pontos, o equivalente a 55% do total disputado. No mês atual, a equipe só acumula cinco pontos (23,8% até aqui), restando ainda uma partida para fechar o ciclo. Até aqui, a Raposa jogou por sete vezes, perdeu quatro, empatou duas e só venceu um compromisso.

"Há uma pressão interna, a gente se incomoda quando o resultado não vem. Sabemos da importância da vitória para consolidar a boa atuação. É preciso os três pontos para aumentar a confiança da equipe, que ainda precisa dar um salto", comenta o técnico Mano Menezes.

A dificuldade em somar pontos e a queda de produção são explicados principalmente pelos momentos em que cada competição foi jogada, começando o ano pelo Estadual e Primeira Liga, e fechando o semestre com Copa do Brasil e Brasileiro, torneios mais fortes tecnicamente. Não à toa, o aproveitamento do Cruzeiro caiu de maneira contínua. A equipe que chegou a ficar invicta por 21 jogos terminou fevereiro com 19 pontos e 90% de aproveitamento, mas viu o rendimento cair para 75% (18 pontos), 70% (17 pontos), 55% (10 pontos) e 23,8% nos meses seguintes.

"A gente trabalha com números também e se cobra no vestiário. Tem situações, jogos difíceis, mas trabalhamos com pontuação. Queremos jogar bem e ganhar, mas nem sempre é assim. Se for jogo feio e ganhar de meio a zero vale muito", disse o lateral Bryan.

Dentro de campo, o desempenho ruim nos números contrasta com o bom rendimento de alguns jogos. Em partidas contra o Corinthians e Grêmio, as melhores equipes do Brasileirão até o momento, a vitória não veio, mas o reconhecimento pelo bom futebol ficou evidente. Porém, derrotas para o Bahia, fora de casa, e Chapecoense, no Mineirão, não estavam nos planos.

"Acho que a gente pode se incomodar quando não estamos nos comprometendo o suficiente pelo objetivo que é a vitória. E nossa equipe está se comprometendo, não tenho uma vírgula para reclamar, estão todos imbuídos em busca do objetivo. Vamos persistir, fazer pequenas correções do que podemos melhorar e estaremos muito próximos da vitória", completou Mano.

Fechando o mês de junho, o Cruzeiro pega o Coritiba às 16h deste domingo, no Mineirão. Em seguida, já em julho, a equipe enfrenta dois duros adversários. No meio da semana terá o Palmeiras, pela Copa do Brasil, e no final de semana o compromisso é o clássico contra o Atlético-MG.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos