Kleina vê Ponte prejudicada e esbraveja sobre árbitro: "Irritou todo mundo"

Do UOL, em São Paulo

Para o técnico Gilson Kleina, o árbitro Wagner Reway é um dos principais responsáveis pela derrota da Ponte Preta para o Palmeiras por 2 a 1 neste domingo (25). O homem do apito foi assunto logo na primeira pergunta respondida pelo técnico alvinegro na entrevista coletiva após a partida.

"Chama a atenção que teve 22 minutos de bola parada no segundo tempo, não teve jogo. E aí foram quatro minutos de acréscimo, com um a mais depois…", reclama Kleina, ponderando sobre as causas do revés. "Temos que assumir nossa parcela de culpa, mas a arbitragem conseguiu irritar todo mundo. Desequilibrou, desestabilizou a nossa equipe, mexeu com toda a gente", continua, prometendo uma conversa com a diretoria "porque é preciso ver" essa situação.

Kleina lembra um confronto de cinco anos atrás para embasar a reclamação quanto a Reway. "Esse árbitro já complicou a gente em 2012. Ponte Preta e Flamengo. Vagner Love cobrou uma falta, a bola não bateu em ninguém, e ele deu escanteio. Na jogada do escanteio nós tomamos o gol de empate", recorda. Na ocasião, o gol do próprio Love saiu no último minuto.

Neste domingo, a reta final do confronto com o Palmeiras foi cheio de tensão. Aos 44 minutos, Rodrigo tentou recolocar a bola em jogo e foi atrapalhado pelo palmeirense Borja. O zagueiro ficou nervoso e disse um palavrão, o que foi suficiente para Wagner Reway sacar o cartão vermelho. Antes do final ainda deu tempo de Renato Cajá e Tchê" Tchê se desentenderem e serem expulsos.

"A gente quer ajudar a arbitragem, mas hoje o treinador não pode abrir os braços, não pode falar, a gente não pode ter comunicação…", diz Gilson Kleina. "Eles trabalham com cinco pessoas, com tanta informação, como eles erram desse jeito? Me diga por que a expulsão do Rodrigo? Por que o cartão do Lucca? A bola triscou na mão do Sheik? P..., perco o jogo e perco três jogadores para a próxima partida", esbraveja o técnico.

O comportamento do quarto árbitro, Renan Antonio Angelim Rodrigues, também deixou Kleina desgostoso. Ele entende que as decisões tomadas pela arbitragem na beira do gramado foram diferentes em relação a ele e ao técnico palmeirense Cuca. "São dois pesos e duas medidas, então temos que rever isso. Não quero justificar a derrota em cima da arbitragem, mas desestabilizou. Hoje perdemos muita coisa, não foi só três pontos. Fomos aguerridos, tivemos uma reação, mas depois fomos nos desequilibrando com tudo o que aconteceu na partida", resume o treinador alvinegro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos