Com pontaria ruim, Renan cobra o time: "tem de se cobrar um pouco mais"

Bruno Freitas

Do UOL, em São Paulo

Com apenas três vitórias em dez rodadas, o São Paulo se encontra em um momento de inconformismo no Campeonato Brasileiro. Na avaliação da comissão técnica e do elenco, o time tem produzido volume suficiente para merecer uma posição melhor na tabela. No entanto, o sentimento de frustração de Rogério Ceni e comandados vem principalmente da incômoda realidade que o time não consegue decidir – é líder em posse de bola da competição, mas amarga índices decepcionantes em finalizações.

Segundo o site de estatísticas Footstats, o São Paulo é o time do Brasileiro com mais tempo de posse de bola, apesar de figurar somente em 16º lugar na tabela de classificação. O time dirigido por Ceni aparece na frente de Santos, Palmeiras, Cruzeiro e Corinthians no top 5 deste quesito. 

O sentimento de frustração aparece na reação dos jogadores do elenco. A sensação comum é de que tem faltado muito pouco para que placares adversos ou de igualdade virem resultados favoráveis.

"A gente procura trabalhar sempre, fazer as coisas certo. Infelizmente nada está dando certo para nós. Quando a gente estava com 1 a 0, eles tiveram duas oportunidades muito boas, depois o cara acertou um chute, não sei nem de quantos metros. A gente tem que trabalhar para reverter essa situação. A única forma é a gente vencendo os jogos", analisou o zagueiro Rodrigo Caio após o empate em casa com o Fluminense, no domingo.

"Acho que cada um tem de se cobrar um pouco mais para poder ajudar o São Paulo a sair dessa situação ruim", opinou o goleiro Renan Ribeiro, principal destaque da equipe no empate de domingo com o Fluminense no Morumbi.

Para efeito de comparação, o São Paulo soma 39 finalizações certas no campeonato, apenas três abaixo do líder Corinthians. No entanto, precisa de 13,2 chutes para conseguir um único gol. Já o Corinthians precisa somente de 5,4 disparos para balançar as redes. 

Outra comparação incômoda: com dez gols, o time do Morumbi é o 16º da classificação, enquanto que o Santos aparece em 5º com apenas 7 gols marcados. 

O São Paulo no Brasileiro 2017:

- é o segundo time em finalizações erradas, com 93 (três atrás da Chapecoense)
- precisa de 13,2 finalizações para fazer um gol (16º neste quesito)
- é o segundo time em cruzamentos errados, com 205 – cinco a menos que o Atlético-MG
- só em duas partidas teve mais finalizações certas do que erradas – contra Palmeiras e Vitória
*estatísticas do Footstats

Na entrevista coletiva após o empate em casa com o Fluminense por 1 a 1, no último domingo, Rogério Ceni não precisou de teses elaboradas para demonstrar o quanto está insatisfeito com a produção ofensiva de seu time.

"Trabalhamos bastante finalizações. Esperamos que nas próximas partidas a bola entre para que tenhamos um resultado melhor", comentou o treinador.

"O time vem criando oportunidades de gol, jogando de igual para igual, seja com o Palmeiras, que é uma das equipes mais fortes do campeonato, ou Atlético-MG, que está na Libertadores. A gente tem sofrido contra equipes que são mais fracas do que a nossa em tese, mas tem sido jogos parelhos", acrescentou Ceni.

Semana cheia é esperança de virada

Depois de um bom tempo, o São Paulo comemora uma sequência de treinos na temporada. Eliminado da Copa do Brasil e da Sul-Americana, o time não terá confrontos de meio de semana nas próximas semanas, ao contrário de boa parte dos rivais da Série A. Em contrapartida, o time recebe uma oportunidade de colocar as coisas no lugar, recuperar jogadores lesionados e ambientar as novas contratações.

Bruno Freitas/UOL
Novo contratado, meia Jonatan Gómez presenciou o empate do São Paulo

A equipe só volta a campo no domingo, quando enfrenta o Flamengo na Arena do Urubu, no Rio de Janeiro, em confronto válido pela 11ª rodada do Brasileiro. Nos próximos dias a meta é encontrar a evolução técnica dentro do CT da Barra Funda.

"Vamos trabalhar em todos os dias, moldar e conhecer os jogadores que estão chegando. A diretoria está se esforçando para dar opções. Algumas vendas são impossíveis de segurar. Quando o atleta quer ir embora é difícil segurar o ímpeto. Algumas saídas são naturais e não tem como segurar um jogador quando ele deseja tanto ir para a Europa ou para um mercado diferente. Mas a diretoria tem tentado repor com a chegada de dois jogadores e com a possível chegada de mais um ou outro", comentou Ceni após a partida de domingo no Morumbi.

"É hora de a gente se juntar, focar nos treinamentos. Temos uma semana cheia de treinamento para a gente recuperar, o Rogério passar o que tem que passar, para a gente vencer no próximo domingo", endossou Rodrigo Caio.

No domingo, o zagueiro equatoriano Robert Arboleda e o meia argentino Jonatan Gómez estiveram no Morumbi para acompanhar a partida contra o Fluminense. A expectativa é de que os estrangeiros se juntem ao grupo durante a semana. A direção ainda tem encaminhadas as contratações do volante Petros (Bétis-ESP) e Matheus Jesus (Ponte Preta). De quebra, os cartolas são-paulinos definirão nos próximos dias a renovação ou o desligamento de Diego Lugano. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos