Com apagão, Atlético-MG vira sobre o Cruzeiro e passa rival no Brasileirão

Enrico Bruno e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Pela primeira vez em 11 rodadas a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro mostra o Atlético-MG na frente do Cruzeiro. Após um começo ruim na competição, a equipe alvinegra somou 10 dos últimos 12 pontos disputados. No clássico que vai ficar marcado pelo apagão nos refletores do Independência aos 39 minutos do segundo tempo, o Atlético venceu por 3 a 1, com dois gols de Fred e um de Cazares.

Já o Cruzeiro, além de ficar atrás do rival pela primeira vez nesta edição do Brasileiro, vai ter uma semana longa até o confronto com o Palmeiras, pela 12ª rodada. Tempo para Mano Menzes trabalhar bastante e ajustar o time, que durante a mesma partida oscila entre ótimos momentos e lances de equipes de várzea.

Cazares ditou o ritmo do Atlético mais uma vez

Thomás Santos/AGIF
Jogadores comemoram o gol de Cazares, o do empate do Atlético contra o Cruzeiro

Não e por acaso que Cazares recebeu a camisa 10 do Atlético em 2017. O equatoriano é o grande organizador da equipe montada por Roger Machado. Praticamente todas as grandes jogadas do ataque atleticano passam pelos pés do meia. E não foi diferente contra o Cruzeiro. Cazares marcou seu primeiro gol no clássico mineiro e, além de criar diversas chances, ainda deu o passar para Fred fazer o terceiro e garantir o triunfo do Atlético no clássico.

Semana desastrosa para a dupla Léo e Caicedo

O Cruzeiro vai ter uma semana até o próximo compromisso, contra o Palmeiras, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Certamente a principal preocupação do técnico Mano Menzes vai ser em arrumar a defesa. São dois jogos seguidos sofrendo três gols. E, como foi diante do Palmeiras, pela Copa do Brasil, a dupla formada por Léo e Caicedo tem responsabilidade significativa nessa queda de desempenho defensivo do Cruzeiro. Mais uma atuação para esquecer.

Roger poupa Luan e volta com os três volantes

Como o Atlético tem jogo pela Copa Libertadores na próxima quarta-feira, o meia-atacante Luan foi poupado pelo técnico Roger Machado, após ser titular contra o Botafogo. Sem o camisa 27, o treinador atleticano voltou a escalar três volantes, assim como fez diante do mesmo Cruzeiro, na final do Campeonato Mineiro, e que gerou muita reclamação por parte de Mano Menezes. A trinca formada por Roger Bernardo, Yago e Elias começou muito mal, perdendo todas para os meias cruzeirenses. A partir de o momento que os volantes atleticanos entraram no jogo, o time alvinegro melhorou e conseguiu virar, ainda no primeiro tempo.

Mano manteve time que começou em São Paulo

O Cruzeiro fez um grande primeiro tempo contra o Palmeiras, em São Paulo, na quarta-feira passada. Abriu 3 a 0, mesmo jogando visitante. Motivo mais do que suficiente para o treinador repetir a escalação diante do Atlético. E, assim como foi no Allianz Parque, o Cruzeiro começou muito bem a partida. Envolveu o Atlético e logo abriu o placar, com Thiago Neves. Melhor em campo, a equipe celeste criou chances de fazer o segundo gol. Porém, ainda no primeiro tempo, o Cruzeiro caiu de produção e viu o rival ocupar o campo de ataque. Também como aconteceu no empate em 3 a 3 com o Palmeiras. A diferença, desta vez, é que a equipe celeste acabou derrotada pelo Atlético.

Atlético perdeu o capitão logo no começo

Antes de o placar do Independência marcar 5 minutos de jogo, o Atlético já tinha feito uma substituição. O capitão Leonardo Silva reclamou de um desconforto na coxa e teve de deixar o clássico. O zagueiro passou a braçadeira para o goleiro Victor e saiu para a entrada de Bremer, jogador do sub-20 do Galo. O clássico com o Cruzeiro foi apenas o segundo jogo de Bremer como profissional.

Virada e reclamação da arbitragem

Apesar da vitória por 3 a 1 sobre o Cruzeiro, o Atlético deixou o clássico com muita bronca da arbitragem de Anderson Daronco. O clube alvinegro reclama de um lance aos 27 minutos do primeiro tempo, quando o placar ainda mostrava 1 a 0 para o Cruzeiro. O volante Elias chutou e a bola pegou no braço de Diego Barbosa, cortando a trajetória, que era rumo ao gol. Bem colocado, Anderson Daronco nada marcou e o jogo seguiu, com muita reclamação dos atleticanos.

Fred quebra jejum de quatro clássicos com dois gols

A estreia de Fred pelo Atlético aconteceu contra o Cruzeiro, no primeiro turno do Campeonato Brasileiro do ano passando. Então com a camisa 99, o centroavante fez o primeiro gol pelo clube logo na estreia. Mas desde então, Fred enfrentou o Cruzeiro em mais quatro oportunidades e passou em branco. O jejum de gols no maior clássico de Minas Gerais acabou aos 49 minutos, quando o centroavante apenas empurrou para o gol a bola passada pelo lateral direito Alex Silva. Fred ainda fez o segundo dele, o terceiro do Atlético, aos 33 minutos. Logo após a comemoração, o centroavante deixou o campo para a entrada de Rafael Moura. E Fred foi ovacionado pela torcida.

Daronco tenta acalmar o clássico conversa com capitães

Se nos primeiros 20 minutos do jogo o Cruzeiro foi absoluto em campo, na segunda parte do primeiro tempo o Atlético entrou no jogo. E os ânimos se acirram dentro de campo. Muita reclamação com a arbitragem, pelos dois lados. Troca de empurrões de jogadores, tanto que Robinho e Rafael Sóbis foram amarelados. Para tentar acalmar os jogadores, Daronco chamou os capitães das duas equipes, Victor, pelo Atlético, e Léo, pelo Cruzeiro. O árbitro conversou com ambos pouco mais de um minuto. Mesmo com o jogo parado, teve confusão entre atleticanos e cruzeirenses.

Sóbis segue sem fazer gols no Atlético

Desde chegou ao Cruzeiro, durante o Campeonato Brasileiro do ano passado, Rafael Sóbis já enfrentou o Atlético em seis oportunidades. E o camisa 7 do Cruzeiro segue sem fazer gols no maior clássico de Minas Gerais. Neste domingo, titular mais uma vez, Sóbis teve boa participação nos minutos iniciais quando o Cruzeiro foi superior. Apagado a partir da metade do primeiro tempo, Rafael Sóbis ficou em campo até os 12 da etapa final, quando deu lugar a Ramon Ábila.

Apagão para o clássico por 14 minutos

Victor Martins/UOL Esporte
Apagão nos refletores do Independência interrompeu o clássico mineiro por 14 minutos

Aos 39 minutos do segundo tempo o clássico entre Atlético e Cruzeiro foi interrompido por falta de luz. Os refletores de um dos lados do Independência se apagaram. O suficiente para fazer a torcida do Atlético lembrar do ocorrido em 2013, pela semifinal da Libertadores. Aquele apagão, contra o Newell's Old Boys, foi determinante para o time mineiro avançar à final do torneio. O apagão durou 14 minutos.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 3 X 1 CRUZEIRO

Data: 02 de julho de 2017, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Motivo: 11ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 17.251 presentes
Renda: 569.140,00
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno Andrade (RS)
Cartões amarelos: Fábio Santos, Robinho, Marlone e Roger Bernardo (CAM) Ramon Ábila, Rafael Sóbis, Ariel Cabral e Caicedo (CRU)
Gol: Thiago Neves aos 5, Cazares aos 47 e Fred aos 49 minutos do primeiro tempo. Fred aos 33 minutos do segundo tempo.

ATLÉTICO-MG
Victor, Alex Silva, Leonardo Silva (Bremer, aos 4 do 1º), Gabriel e Fábio Santos; Roger Bernardo, Yago (Adilson, aos 32 do 2º), Elias e Cazares; Robinho e Fred (Rafael Moura, aos 34 do 2º).
Treinador: Roger Machado.

CRUZEIRO
Fábio, Emanuel, Léo, Caicedo e Diogo Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral, Robinho (Élber, aos 24 do 2º) e Thiago Neves; Alisson (Sassá, aos 34 do 2º) e Rafael Sóbis (Ramon Ábila, aos 12 do 2º).
Treinador: Mano Menezes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos