Ceni reclama de árbitro e relembra drama de 2013: "situação que incomoda"

Do UOL, em São Paulo (SP)

Rogério Ceni agradeceu a Deus por estar pressionado. O técnico, sempre preocupado em blindar o elenco, tenta centralizar as críticas sobre seu trabalho após entrar com o São Paulo na zona de rebaixamento. A derrota por 2 a 0 para o Flamengo neste domingo deixou ainda mais tenso o clima no Tricolor, mas o ídolo confia que será possível reagir, como nos conturbados anos de 2013 e 2016.

"Graças a Deus a pressão está em cima de mim, pela história construída, pelo lastro que tenho para suportar. Ganhei muitos títulos e sofri muitas decepções. Ganhamos e lideramos o Brasileiro, fomos eliminados antes dos pontos corridos e uma vez passamos por uma situação semelhante a essa. E conseguimos sair com uma série de seis jogos com cinco vitórias e um empate. Vamos tentar sair o mais rápido possível dessa situação que incomoda tanto a mim, ao grupo e principalmente à torcida", declarou o comandante são-paulino.

Em 2013, Ceni era o goleiro do time que chegou a ocupar a 18ª posição do Campeonato Brasileiro, mas que reagiu ainda no fim do primeiro turno para escapar com certa facilidade da queda no fim da temporada. Em 2016, ainda como torcedor, viu os tricolores mais uma vez patinarem, mesmo sem entrar na zona de rebaixamento, e se recuperar somente na segunda metade do segundo turno. Com reforços e talentos da base, o técnico confia em reviravolta.

"Só (resolveremos os problemas) ganhando jogos, trabalhando todos os dias e tentando fazer que a equipe fique mais forte. Frequentar ou estar próximo da zona de rebaixamento nunca é bom. Temos 27 rodadas pela frente e precisamos sair dessa situação incômoda. Vivi isso como atleta em 2013 e em 2016 como torcedor. É uma situação delicada, difícil. Trabalharemos para tirar um time grande como o São Paulo disso. Temos meio turno pela frente para reverter e ter novo pensamento quando nos distanciarmos", disse.

Na bronca

O sexto tropeço seguido no Brasileirão, segundo Ceni, poderia ter sido evitado não fosse uma decisão equivocada da arbitragem. Ceni reclamou do árbitro Leandro Vuaden por falta marcada de Petros sobre Guerrero e até do posicionamento da barreira: "O time vinha bem até o Vuaden conseguir encontrar uma falta perigosa e ainda deixar a barreira a mais de dez metros. E para que jogou bola sabe que faz diferença. Ele também fez dez metros em uma falta a favor da gente no fim, mas não mudaria nada. Aquela bola parada mudou o jogo, que era equilibrado, sem os goleiros trabalharem. O gol tirou nossa concentração e ficou difícil reagir".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos