Sete jogos sem vitória: Coritiba segura técnico e lamenta circunstâncias

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Divulgação/Coritiba FC

    Pachequinho esteve ameaçado de queda, mas seguirá no comando ao menos até a próxima rodada

    Pachequinho esteve ameaçado de queda, mas seguirá no comando ao menos até a próxima rodada

Pachequinho seguirá no comando do Coritiba, ao menos para o jogo desta quinta-feira, em Florianópolis, contra o Avaí. Após a derrota para o Sport (0 a 3) em casa, o time chegou a sete jogos sem vitória no Brasileirão. No clube, o pior das cobranças sobre o treinador já passou. "Na hora da raiva todos querem trocar, mas não vamos. Foi a primeira derrota dele no Couto, não tem o que mexer. Temos que honrar o que assinamos. São muitas coisas, muitos fatores. Não é hora de mexer", garantiu Ernesto Pedroso, diretor institucional que faz a gestão do futebol do clube.

Na diretoria houve cisão quanto a permanência. O gerente de futebol Alex Brasil foi um dos que deram mão forte ao técnico, efetivado com a conquista do Paranaense há pouco mais de dois meses. "Nesses momentos nós temos que estar juntos com o grupo, com o treinador. É uma fase. Nos festejos vocês não me viram aqui, mas no momento de crise eu assumo, eu soi o responsável", disse, para confirmar: "A gente acredita no Pachequinho, é uma fase. Eu falo por mim, por estar no dia a dia".

Quem era a favor da saída, acabou dando fôlego extra. Mas a cobrança seguirá contra o Avaí, que vem de vitória sobre Botafogo e Grêmio fora de casa, mas empatou em Floripa com a Ponte Preta em meio a esses jogos. O Coxa assume a crise e faz uma análise do que está dando errado: perda de jogadores no elenco e queda de produção da zaga.

Nos últimos jogos, o Coxa não teve Werley e Alan Santos, machucados, assim como Jonas, suspenso. A defesa caiu de produção. Até o duelo contra o Corinthians, na oitava rodada, o Coxa tinha a melhor defesa do campeonato, com 4 gols sofridos; nos últimos quatro jogos levou 9 e despencou na tabela.

Pela frente, mais problemas. Na quinta, Kléber terá seu recurso julgado no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e poderá ter a suspensão de 15 jogos confirmada - ele já cumpriu três e está atuando sob efeito suspensivo. Kléber, artilheiro do time no ano, estará em campo contra o Avaí, mas poderá ser o último jogo dele por um longo período.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos