Após furacão de mudanças, Atlético-PR 'reinicia ano' contra o Cruzeiro

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Assessoria CAP

    Grafite, Carlos Alberto e Luis Henrique com o presidente Emed: Atlético reinicia sem eles

    Grafite, Carlos Alberto e Luis Henrique com o presidente Emed: Atlético reinicia sem eles

A foto acima é do começo do ano, mas já faz parte do passado. Nela, três apostas do Atlético Paranaense para a temporada, ao lado do presidente Luiz Sallim Emed. Três personagens que já não estão mais no clube, que a partir das 21h45 (de Brasília) dessa quarta-feira (12), na Arena da Baixada, tentará "reiniciar o ano" em meio às disputas do Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores. Pela frente o Cruzeiro de Mano Menezes.

Um furacão de problemas

O ambiente no Atlético começou a ficar agitado quando o clube se viu sem estádio para receber o Santos pela Libertadores. Ao alugar a Arena da Baixada para a realização da Liga Mundial de vôlei, o time reviveu o drama de 2005, quando não pode decidir o título continental em casa. Porém, desta vez, por vontade própria. A diretoria atleticana contava com o Couto Pereira. Mas o Coritiba bateu o pé e não quis alugar o estádio, mesmo com um contrato entre os clubes para essa ajuda mútua. O caso está na Justiça, mas o Atlético teve que recorrer ao Paraná Clube para jogar na Vila Capanema. Em meio a tudo isso, uma goleada por 4 a 0 para o Grêmio deixou a equipe bem distante de uma vaga na semifinal da Copa do Brasil. Para completar, o Santos venceu por 3 a 2 pelo jogo de ida das oitavas da Libertadores e as cobranças foram fortes contra a diretoria.

Escolhas frustradas

Grafite, Carlos Alberto e Luís Henrique já tomaram outros rumos. Sallim ainda é o presidente, mas viu o parceiro Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho, fazer valer sua decisão de mudar Eduardo Baptista do comando técnico no domingo passado, após o jogo com a Chapecoense (1 a 1). Foi Sallim quem apresentou o novo técnico, Fabiano Soares, garantindo: "Eduardo não saiu por conta dos resultados, é um bom técnico, trabalhador. Ele não entendeu a filosofia do clube".

A filosofia estará em xeque com a saída de Autuori, demissionário após o rompimento com Baptista. Fabiano Soares é a nova escolha, amparado num projeto que quer aproximar o Atlético da Europa. Ele não comandará o time contra o Cruzeiro, papel que caberá a Kelly, ídolo atleticano no final dos anos 90.

Soares foi indicado pelo monitoramento do DIF, o Departamento de Inteligência do Futebol do Atlético. Como foram Grafite e Carlos Alberto, que tinham o crivo de Paulo Autuori, e principalmente Luis Henrique, da base do Botafogo. O Atlético abriu mão de Lucas Fernandes, jovem do Fluminense, para apostar no garoto. Luis Henrique não se encaixou, teve atuações ruins e caiu em desgraça com a torcida. Pegou o rumo de Portugal, liberado pelo Atlético.

Carlos Alberto também saiu após o adeus de Autuori. Ele se recuperava da terceira lesão no ano e foi flagrado em uma casa noturna em Curitiba. Discutiu com torcedores e se viu sob cobranças, mais uma vez. Garante que não é o motivo principal da saída, mas sim o fim do "projeto" de Autuori. Grafite foi outro a sair por vontade própria. Em seis meses, apenas um gol. O atacante não reeditou seus melhores momentos na Baixada e, mesmo com apoio da massa atleticana, resolveu ir embora. Ainda não sabe do futuro, mas não pode atuar na Série A.

Reinício para todos

Soares irá receber dois reforços já de cara: o meia Guilherme e o meia-atacante Felipe Gedoz. Ambos estiveram afastados por motivos diferentes. Guilherme se machucou nas costas, num incidente similar ao de Neymar na Copa 2014, e agora já está disponível para os treinos, mas não irá para o jogo contra o clube que o revelou.

Gedoz também está fora da partida, mas dentro do elenco e dos treinos novamente. O atacante perdeu peso após ter sido afastado por indisciplina e passar por outro produto de Autuori, o centro psicoterapeuta do clube. Foi reintegrado, mas ainda buscará espaço com o novo treinador.

Paradigma rompido

Mano Menezes e o Corinthians eram inspirações para Paulo Autuori no Atlético. Amigo de Fabiano Soares desde os tempos em que trabalhou em Portugal, o ex-gerente agora passará a acompanhar à distância – apesar da insistência de Petraglia em recontrata-lo – se o clube fará com Soares o que o Corinthians fez com Mano, Tite e Carille. Em encontro recente, Autuori contava que "Tudo (no Corinthians) começou com o Mano Menezes, se solidificou com o Tite numa situação que não devemos esquecer, que foi a convicção que a direção teve naquele episódio com o Tolima, de manter ele, e até por que o mais importante nisso é você ter a noção certa do que está sendo feito no dia a dia. E agora é aprimorado com Carille".

Após 48 dias de uma apresentação em que se falava em quebra de paradigmas, Autuori e Baptista deixaram o clube, que terá um reinício diante do Cruzeiro, um novo teste para as inovações atleticanas.

ATLÉTICO PARANAENSE X CRUZEIRO

Data: 12 de julho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Motivo: Décima terceira rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC/CBF)
Assistentes: Carlos Berkenbrock e Neuza Ines Back (SC)

ATLÉTICO-PR:

Weverton; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Eduardo Henrique e Nikão (Matheus Anjos); Yago (Eduardo da Silva), Ederson e Nikão (Deivid).
Técnico: Kelly (auxiliar).

CRUZEIRO:

Fábio; Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Romero, Lucas Silva e Thiago Neves; Alisson e Rafael Sóbis.
Técnico: Mano Menezes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos