Focado no SP, R. Caio não descarta transferência: "Tenho de pensar em mim"

Do UOL, em São Paulo

Rodrigo Caio vive um dilema. Com o São Paulo na zona do rebaixamento, o zagueiro está na mira do Zenit e pode deixar o Brasil nas próximas semanas. O clube russo sinalizou com a possibilidade de pagar a multa rescisória de 18 milhões de euros (R$ 66,7 milhões) para tirá-lo no Morumbi. Apesar de querer ajudar os seus colegas e manter o foco no Tricolor, o jogador não descarta a possibilidade de ser negociado.

"Eu procuro focar totalmente no São Paulo, isso tem de ser tratado entre meu empresário e a diretoria do São Paulo. Eu procuro ficar à parte disso, porque a gente não vive um momento bom e temos de ficar 100% focados no time. Esse é o meu pensamento e o que for resolver vai ser decidido entre o São Paulo e os meus empresários", disse o jogador, que falhou durante o empate por 2 a 2 com o lanterna do Campeonato Brasileiro, o Atlético-GO, nesta quinta-feira, no Morumbi. 

Por conta do sonho de disputar a Copa do Mundo, o jogador desejava jogar em um país com mais tradição no futebol europeu. No entanto, o fato de Giuliano, que frequentemente é convocado por Tite, defender o Zenit, pode servir de incentivo para Rodrigo Caio. 

"Vi uma entrevista dele [Tite] que disse que não gostaria de interferir. É uma decisão pessoal, precisa analisar bem, com a família e pessoas próximas. Caso aconteça, vou analisar da melhor maneira possível com calma e tranquilidade, pensando em mim também. E acho que muitas vezes a gente deixa de pensar em nós mas em um momento desse tem de pensar em mim. Deixo com o clube e o que for melhor vai acontecer", disse o defensor.

A partida desta quinta-feira à noite, no Morumbi, marcou a estreia de Dorival Júnior como treinador do São Paulo. Rodrigo Caio tentou destacar o empenho dos jogadores, apesar do resultado negativo.

"Difícil falar de sorte ou azar, muita vezes você vai interpretado de uma maneira não tão boa. Infelizmente, em duas fatalidades, vamos dizer, a gente fez o gol e estava com a bola nos pés e acabou sobrando para o eles marcar. No segundo gol a bola ficou pererecando na área, o cara deu um calcanhar e acertou a bola na bochecha. É difícil a gente falar. Estamos fazendo as coisas certas e tentando de todas as formas, mas está difícil. Todos estão vendo que o time está lutando e se dedicando. Muitas vezes, as pessoas vão nos criticar e falar que o nosso time é isso ou aquilo, mas a gente dentro de campo tem tentado mudar de todas as formas, mudar essa situação, mas está difícil e não tem jogo fácil. Temos de seguir trabalhando. Foi o primeiro jogo com o treinador novo, na minha opinião fizemos uma boa partida, infelizmente, levamos dois gols que nos deixam muito tristes pelo tanto que lutamos. Infelizmente, resultado com gosto amargo, mas vida que segue."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos