Kléber fala em 'punição ao Coritiba' e diz crer em reversão da pena no STJD

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

Após um longo período sem falar com a imprensa, o atacante Kléber Gladiador falou sobre a suspensão de 15 jogos – já cumpriu três e terá mais 12 pela frente – mantida na noite desta quinta-feira (13) pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Autor de um dos gols na vitória sobre o Avaí em Florianópolis por 4 a 1, Kléber começou a entrevista coletiva ainda no gramado da Ressacada tímido, mas aos poucos falou sobre a punição sofrida.

"Eu estive lá, eu vi o que é aquilo lá... vou te falar. Realmente você tem que... é o que eu falo. Existe possibilidade, então vamos esperar para ver. Dizem que existe a possibilidade ainda de reverter ou diminuir. Você fala, os caras acabam punindo mais. Dizem que tem possibilidade, vamos esperar", disse o jogador, que se ampara no Artigo 80-A, das "transações disciplinares", para que ainda o Tribunal aceite transformar em multa parte de sua pena. No julgamento, um desencontro de ofertas entre a Procuradoria e o advogado do Coxa, Itamar Cortes, fez com que a pena fosse mantida.

No julgamento, o Coritiba havia proposto uma pena de 6 jogos e multa de R$ 200 mil, mas a procuradoria fez uma contraproposta: 7 jogos e R$ 230 mil. O advogado Itamar Cortes, que estava no caso com um limite de negociação, não acatou de momento. Posteriormente a auditora Arlete Mesquita pediu uma reconsideração para 7 jogos e R$ 200 mil. Cortes então foi consultar o Coxa, que aceitou a pedida, mas então Felipe Bevilacqua, o procurador, retirou a proposta. A pena foi mantida, mas Kléber ainda imagina que seja possível mudar o quadro.

"Eu espero que sim, eu acho um absurdo ficar 15 jogos sem jogar, um turno do campeonato. Eu estive lá, eu disse: não está prejudicando o Kléber, está prejudicando o Coritiba. Dá uma multa, eu já tomei uma multa do clube", relatou, para prosseguir: "Vou ficar o que, 12 jogos sem jogar, vou pedir pro clube me dar férias? O clube vai continuar pagando salários, espero que revejam para não prejudicar tanto o clube."

Kléber atribui o comportamento hostil no jogo contra o Bahia a problemas pessoais. Questionado se estaria arrependido, contou sua versão: "Eu estava com um problema muito sério com a minha filha, e eu falei isso no julgamento. Meu pai fez uma cirurgia ontem. São coisas que estão me atrapalhando dentro de campo e eu não consegui me controlar, acabei respondendo uma provocação. Eu me arrependo, mas não sei se faria diferente. Eu já não estava com a cabeça no jogo, é realmente difícil". Kléber disputava a guarda da filha com a ex-mulher, e conseguiu depois de uma disputa judicial. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos