Marquinhos Gabriel admite que demorou a entender a identidade corintiana

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Confirmado no Corinthians que recebe o Atlético-PR no sábado, Marquinhos Gabriel tentará reafirmar sua evolução dentro do clube no Brasileiro 2017. O meia assume a posição de Rodriguinho e, nesta sexta, admitiu que esse crescimento passa por uma mudança de postura. 

"A identidade do Corinthians é essa, marcação forte. Eu demorei um pouquinho para entender isso, que futebol não é só bola no pé, é também sem a bola. Até o final do ano podemos evoluir e posso ajudar muito ainda", declarou. 

O meia ainda agradeceu Fábio Carille pelas oportunidades. "Parte muito da confiança que ele teve em mim (a evolução), que me passou, e também méritos meus. Se eu abaixasse a cabeça, deixasse que as críticas me abalassem, não ia dar a volta por cima. Parte dele, ajuda da minha família também. Agradeço muito a ele e a todo grupo que me abraço e tem abraçado outros jogadores também. Agora é dar continuidade no trabalho", afirmou. 

Marquinhos, que entra no time com Moisés e Pedro Henrique (Arana está suspenso e Pablo lesionado), ele ressaltou a força do elenco. "A gente tem trabalhado para isso, quando tem jogadores suspensos e na seleção, a gente se prepara da melhor maneira para a equipe não mudar padrão de jogo e intensidade. Nossa ideia é tentar manter padrão", continuou. 

"Não é nem no banco que temos de estar cientes do que tem de fazer, é no treinamento. Quando os titulares descansam, fazemos os mesmos trabalhos. O espelho do reserva é o time titular. Estamos bem cientes do que fazer em campo", justificou Marquinhos. 

"Um grupo vencedor não se faz só com 11, se faz com elenco forte. A gente demonstrou que é capaz contra Vasco e Cruzeiro, quando tinham desfalques. É manter o nível de concentração. No final do campeonato, vocês todos vão avaliar que o Corinthians tinha, sim, um bom elenco", disse. 

Marquinhos Gabriel ainda previu uma defesa adversária bem posicionada no sábado e dificuldade em anotar gols. "Acredito que sim, é um jogo de paciência, precisa rodar a bola, saber infiltrar bem, achar os espaços. Vamos precisar de muita paciência. Amanhã vamos fazer um belíssimo jogo", comentou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos