Mattos elogia Corinthians, mas destaca: "Despontou quem foi eliminado"

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Agência Palmeiras

    O diretor de futebol Alexandre Mattos, do Palmeiras, concede entrevista coletiva

    O diretor de futebol Alexandre Mattos, do Palmeiras, concede entrevista coletiva

Para Alexandre Mattos, o Palmeiras ainda tem chance de brigar no Brasileirão. O diretor executivo de futebol concedeu uma entrevista de mais de uma hora nesta sexta-feira (14) para defender o trabalho de Cuca e aproveitou para elogiar o Corinthians.

O dirigente acredita que o fato de o Alvinegro estar fora da Libertadores e da Copa do Brasil ajuda a equipe a se concentrar apenas no Brasileirão. Vale lembrar que o arquirrival está na Sul-Americana, mas atuou com equipe reserva.

"Quem está despontando? Despontou quem foi eliminado. Enquanto o Palmeiras estava em Guayaquil, nossos adversários, o Cruzeiro e o Corinthians, estavam treinando. Isso faz uma diferença enorme. Quem tem tempo para treinar está em cima. Se o Cuca tivesse as duas semanas que teve no ano passado depois de ser eliminado para o Santos, eu garanto que estaríamos melhores", afirmou Mattos.

"O Corinthians está nessa por não participar da Libertadores, da Copa do Brasil e também por mérito próprio. Temos que valorizar e bater palma, porque é impressionante. E eu disse isso para eles", completou.

Mattos ainda afirmou que conversou com Cuca sobre a declaração dada por ele na última quarta-feira após a derrota para o Corinthians. Na ocasião, o treinador disse que a equipe precisava se concentrar na Copa do Brasil e na Libertadores.

"O Brasileirão está acontecendo equilibrado, está todo mundo ali. Acontece que tem o Brasileirão e tem o Corinthians. No Brasileirão, o Palmeiras se ganhar um ou dois jogos fica na liderança. O Grêmio tem 25 pontos e a gente vai a 22 se ganhar. Com 13 rodadas isso tudo é aberto. Agora... Existe o Corinthians, né?", afirmou.

Mattos ainda usou o caso vivido por Roberto de Andrade para defender o seu trabalho e pedir tempo para Cuca.

"Eu falei isso para ele. Em 2015, foi campeão Brasileiro e o Roberto é Deus. Em 2016 vendeu todo mundo e aí fala de impeachment, que não presta... Estamos trabalhando, com honestidade, exigindo muito e sabendo o trabalho do clube. Coloco muita coração, muita intensidade e é assim que vai acontecendo", finalizou.

Por fim, Mattos admitiu que a necessidade de trocar de treinador com o campeonato acontecendo também foi decisivo para que o Palmeiras não conseguisse manter o futebol em alto nível.

"O Cuca precisou sair por problemas familiares e não tem ninguém no mercado igual a ele. Talvez o Bielsa. Então optamos por um treinador que traz ideias novas no mercado. Mas por desalinhar o pensamento, por perfil de planejamento, a gente precisou resgatar o Cuca, que ainda não teve tempo para treinar".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos