Para entrar no primeiro pelotão, Atlético quer voltar a ser temido no Horto

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Thomás Santos/AGIF

    Em 7 jogos no Independência, Atlético-MG venceu só 2 vezes, contra Avaí e Cruzeiro

    Em 7 jogos no Independência, Atlético-MG venceu só 2 vezes, contra Avaí e Cruzeiro

São apenas oito pontos conquistados em 21 possíveis. O Atlético-MG tem seu pior início como mandante no Campeonato Brasileiro desde que passou a jogar no reconstruído estádio Independência, na temporada 2012. O aproveitamento de apenas 38% dos pontos disputados em Belo Horizonte mantém a equipe alvinegra fora dos primeiros colocados, já que atuando como visitante o Galo tem a quarta melhor campanha em pontos conquistados e a terceira melhor em aproveitamento.

Mudar esse retrospecto em casa e escrever uma nova história como mandante é o que os jogadores do Atlético têm em mente para a sequência de dois jogos como local. Nesta quarta-feira, às 21h45, o time do técnico Roger Machado recebe o Bahia. Na rodada seguinte do Brasileirão, é a vez de jogar contra o Vasco.

"Viemos de um grande resultado fora de casa. Sabemos agora da dificuldade que vão ser esses dois jogos. Não estamos com um retrospecto muito bom em casa, mas creio que vamos construir uma nova história no Horto. Temos tudo para fazer dois bons resultados, para dar um salto na tabela", prometeu o zagueiro Gabriel.

Com 20 pontos, o Atlético está bem longe do líder Corinthians, são 16 de diferente. Porém, a distância para o G-6 é de apenas dois pontos. Com duas rodadas atuando no Independência, os jogadores alvinegros traçaram como meta a entrada na zona de classificação à Copa Libertadores.

"Esse é nosso maior desafio. Nossa campanha fora de casa está muito boa. Diferentemente dos últimos anos, dentro de casa estamos deixando a desejar. Acredito que não é apenas o Atlético. Muitas equipes estão com problemas dentro de casa. Mas temos de somar pontos, se quisermos chegar no pelotão lá da frente", revelou o lateral esquerdo Fábio Santos.

Com três derrotas no Horto nesta edição do Brasileirão, o Atlético já igualou as marcas de anos anteriores. Entre 2014 e 2016, foram somente três derrotas a cada ano como mandante em toda a competição. E de acordo com os próprios atletas, é a pressão pelo resultado positivo que faz o time ir mal dentro de casa.

"Quando chega na metade do segundo tempo e a gente vê que o resultado não está bom, colocamos na cabeça que temos de ganhar de qualquer forma. E não é assim. Temos de nos organizar para não sofrer um gol primeiro, pois vamos fazer o gol. A gente meio que abandona a defesa e vamos em busca do gol de qualquer jeito. Sabemos das dificuldades que vamos ter, mas é procurar corrigir isso aí, para fazer grandes jogos", disse Gabriel.

Mas é algo que não pode acontecer, por se tratar de uma equipe experiente. Assim analisa o lateral esquerdo Fábio Santos. O jogador reconhece que o time se desorganiza quando o resultado não vem dentro de casa. Para escrever uma nova história no Horto neste Brasileirão, Fábio Santos que usar os jogos passados como lição para o Atlético.

"Nós temos jogadores experientes, temos de saber lidar com a essa pressão. Às vezes o torcedor vai cobrar um pouco mais e temos de ter tranquilidade, não querer fazer tudo no desespero. Somos acostumados a sair na frente quando jogamos no Horto e quando as coisas não acontecem, ficamos nervosos e tomamos decisões precipitadas. Isso tem de servir como lição para o jogo com o Bahia. As coisas podem não acontecer como imaginamos, mas são 90 minutos para fazer o gol. Temos de saber lidar com essa situação".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos