Torcida do Flamengo protesta e pede saída de Zé Ricardo após empate

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

O clima virou novamente no Flamengo após o empate por 2 a 2 com o Palmeiras, nesta quarta-feira (19), na Ilha do Urubu. O Rubro-negro completou três partidas sem vencer no Campeonato Brasileiro e segue 12 pontos atrás do líder Corinthians - 37 a 25. A torcida não escondeu a insatisfação e gritou "Fora, Zé Ricardo" ao apito final.

Parte dos torcedores tentou esvaziar o protesto com vaias, mas a manifestação continuou na sequência. Um grupo de flamenguistas também protestou na parte interna do estádio e cobrou  providências do presidente Eduardo Bandeira de Mello. Houve discussão e o mandatário rubro-negro precisou ser contido por funcionários do clube.

O clima ficou tenso e a segurança foi reforçada para evitar problemas. O fato é que Zé Ricardo não goza de prestígio desde a eliminação precoce na Copa Libertadores e vive o momento mais delicado depois que o primeiro furacão do ano passou.

Na entrevista coletiva, o comandante tratou com serenidade as manifestações. "Não tenho o que comentar. A torcida está no seu direito e o que podemos fazer é trabalhar para encaixar as peças que estão chegando. Todos estão chateados".

O presidente Eduardo Bandeira de Mello o referendou mais uma vez no comando da equipe. "É o nosso treinador e vai continuar", garantiu.

O meia Diego também falou sobre o protesto. Ele desperdiçou um pênalti no segundo tempo - Jailson defendeu -, o que poderia mudar o resultado da partida.

"Estamos juntos com ele [Zé Ricardo]. Temos total confiança no treinador. Ganhamos e perdemos juntos. O Zé se entrega nos treinos e nos jogos. Vemos um treinador extremamente dedicado, buscando de todas as formas um equilíbrio para a equipe", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos