Herói do Vasco, Paulinho esbanja juventude e tieta Fred em noite de gala

Do UOL, em São Paulo

Paulinho foi o nome da vitória vascaína sobre o Atlético-MG, neste domingo (23), por ter marcado os dois gols da vitória por 2 a 1. O atacante de 17 anos é bastante novo, mas já tem muita história para contar: ele é parceiro de Vinícius Jr. na base, foi campeão do Sul-Americano sub-17 e tornou-se o primeiro atleta nascido nos anos 2000 a balançar a rede no Campeonato Brasileiro.

O garoto fez papel de fiel escudeiro de Vinícius Jr. em fevereiro, quando o badalado flamenguista foi artilheiro e melhor jogador do Sul-Americano. Na seleção, viraram parceiros; mas em seus respectivos clubes a história é outra. A dupla protagonizou diversos clássicos em São Januário e Gávea com retrospecto equilibrado.

O rápido crescimento fez Paulinho ganhar atenção especial do Vasco, mas a estreia como profissional só aconteceu recentemente, no último dia 13. Ele saiu do banco de reservas para contribuir com uma assistência na goleada sobre o Vitória. Foi bem também contra o São Paulo e, na primeira chance como titular, fez dois gols sobre o Atlético-MG.

O atacante está acostumado a brilhar. Além das glórias na seleção brasileira, marcou os gols dos títulos da Taça Guanabara e da Taça Rio sub-20. Até por isso, tenta não se empolgar com a fase. "Tenho sonho de jogar no maior alto nível possível. Trabalho muito para isso, para ter momentos como esse", disse, com todo o jeito de garoto. "Sem empolgação. É continuar trabalhando para ter mais oportunidades como titular e ajudar o Vasco a fazer uma boa campanha."

Thomás Santos/AGIF

A história de Paulinho é curiosa também pelas coincidências com Romário. Além do início de carreira na Colina, saiu do mesmo bairro da Vila da Penha, no Rio de Janeiro, e tem um irmão com o mesmo nome de batismo do "Gênio da Grande Área". O que muda é a posição preferida. "[Gosto de] jogar assim, aberto e com liberdade no campo todo, podendo me movimentar nas costas dos volantes, dos zagueiros", diz o garoto.

Foi justamente nas costas da zaga que ele abriu o placar neste domingo. Depois, em contra-ataque mortal, apareceu livre na intermediária para bater colocado no ângulo. Após fazer papel de herói no gramado do Horto, voltou a ser menino fora dele e pediu a camisa do ídolo Fred.

"Admirava muito o Fred, sempre via os jogos dele em qualquer time. E hoje tive a oportunidade de enfrentar ele, então fico muito feliz, ainda mais por fazer os dois gols e dar a vitória para o Vasco", celebra o garoto, nascido em 15 de julho de 2000, em entrevista ao canal Premiere.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos