Libertadores do Galo completa quatro anos e time reencontra um quase vilão

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Marcus Desimoni/UOL

    Goleiro Martin Silva sobe mais do que Jô e fica com a bola no alto, na final da Libertadores de 2013

    Goleiro Martin Silva sobe mais do que Jô e fica com a bola no alto, na final da Libertadores de 2013

Hoje um time em busca de sequência no Brasileiro após a demissão de Roger Machado, o Atlético-MG era bem diferente há quatro anos. Em 23 de julho de 2013, a equipe então comandada por Cuca se preparava para a final da Libertadores, contra o Olimpía, o capítulo mais importante de sua história. Quase vilão naquela oportunidade, Martin Silva vai voltar a Minas Gerais para rever o rival marcante. Agora, pelo Vasco, que enfrenta o Galo pelo Campeonato Brasileiro, no Independência. 

O atual dono da camisa 1 cruzmatlina era o titular do Olimpia há quatro anos. O arqueiro uruguaio era um dos destaques do desacreditado "Decano", que saiu da fase preliminar da Libertadores para chegar ao jogo decisivo com a vantagem de poder perder por até um gol de diferença, depois de ter feito 2 a 0 na ida.

Por precisar da vitória e jogar num Mineirão com quase 60 mil torcedores, era natural que o Atlético tivesse maior volume de jogo. E o time mineiro atacou bastante, mas parou em boas defesas de Martín Silva. O goleiro só não conseguiu defender o chute de Jô, no primeiro minuto do segundo tempo, e a cabeçada de Leonardo Silva, já aos 41 minutos da etapa final.

AFP PHOTO / EVARISTO SA
Victor sai para comemorar título do Atlético-MG após pênalti chutado na trave

Martín Silva também travou uma guerra de nervos com Victor durante a decisão de pênaltis. O uruguaio fez o possível para tentar tirar a concentração do goleiro atleticano. Primeiro, reclamando da arbitragem, depois por causa de um terço. Victor recebeu o objeto de um torcedor do Atlético e o colocou dentro do gol, a cada vez que ia para uma cobrança de pênalti. Martín Silva, por sua vez, arremessava o terço longe, quando era a vez dele de ir para a meta.

"Chega a ser um pouco hilário. A partir do momento em que ele percebeu a presença do terço, a cada cobrança nossa, jogava o terço para trás do gol. Depois, eu ia lá e pegava. Foi assim duas vezes. Ele jogou, eu peguei e coloquei de volta. Mas, na última cobrança, tirei e fiquei com ele na mão. Quando fui para o gol, coloquei de volta, e o Giménez, do Olímpia, chutou na trave", contou Victor, há quatro anos, em entrevista à Rede Globo.

Victor não estará em campo neste domingo pois está suspenso. Como ele, outros protagonistas da campanha vitoriosa do Galo não vão jogar, já que o técnico interino Diogo Giacomini vai usar um time mesclado por conta do duelo contra o Botafogo, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG X VASCO

Data: 23 de julho de 2017, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Motivo: 16ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa/SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Tatiane dos Santos Camargo (Fifa/SP)

ATLÉTICO-MG: Giovanni, Alex Silva, Matheus Mancini, Jesiel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Otero e Marlone; Robinho e Fred.
Técnico: Diogo Giacomini.

VASCO: Martín Silva, Gilberto, Rafael Marques, Paulão e Ramon; Bruno Paulista, Jean, Pauilinho, Mateus Vital e Escudero; Paulo Vitor.
Técnico: Milton Mendes.

Assim, Martín Silva vai ser o único jogador daquela história final de Libertadores que vai estar em campo neste domingo. Mais uma vez como rival do Atlético.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos