Micale vê evolução do Atlético-MG parar em "momento mágico" do Corinthians

Enrico Bruno e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Desde que chegou ao Atlético-MG, Rogério Micale comandou a equipe em três ocasiões: derrota na estreia para o Botafogo, pela Copa do Brasil, vitória contra o Coritiba e novo revés para o Corinthians, sendo esses dois últimos pelo Brasileirão. Contudo, o mais novo tropeço por 2 a 0 diante do líder do campeonato em pleno Mineirão não virou motivo de alarde para o treinador. Em sua entrevista após o jogo, Micale elogiou a postura do Atlético, viu um jogo equilibrado na maior parte do tempo, mas não deixou de dar os méritos ao time paulista que para ele vive um momento mágico na temporada, o que torna muito difícil de ser batido.

"Eu confio muito no meu time e os jogadores já estão dando resposta. Houve muita entrega, vejo que evoluímos em alguns setores. Precisamos trabalhar para avançar. Mas quando se joga contra o Corinthians, tem que ter muito cuidado. O outro time está vivendo um momento mágico, por isso temos que ter calma para avaliar e não trazer mais peso. O torcedor está acostumado a vencer em casa e estamos vivendo um momento de oscilações. O caminho é longo, precisamos melhorar, mas estamos evoluindo", comentou o treinador.

Com uma opinião bem semelhante à do goleiro Victor, Micale também viu o Atlético realizar uma boa partida com chances para inaugurar o marcador e até igualar a partida quando perdia por 1 a 0. O time mineiro, no entanto, foi vítima do ataque letal do Corinthians, que parecia estar entregue em alguns momentos, mas foi bastante objetivo e eficiente para fazer o segundo gol e selar a vitória fora de casa. Questionado sobre a escalação de Pablo, jovem de 24 anos para a partida, Micale preferiu não culpar o atacante, que não fez um bom primeiro tempo e foi substituído no intervalo. Novamente, o treinador teceu elogios ao adversário.

"A responsabilidade é de todos, temos que assumir isso. A partir do momento que estamos em um elenco com essa grandeza, temos que saber que em qualquer momento a oportunidade vai chegar. Não podemos colocar na conta do Pablo porque ele tem dois jogos no time, temos jogadores que têm mais de dez. Então é preciso dividir a responsabilidade, não vou achar culpados. Fizemos um jogo equilibrado durante uma parte boa do tempo, mas jogamos contra uma equipe que vive um momento especial. Não posso tirar o mérito da equipe adversária", acrescentou.

"Enfrentamos um líder que não perde e que tem uma equipe muito estruturada. Fizemos um jogo nivelado, igual em vários momentos. Tivemos chances de empatar o jogo, mas não foi possível. Em uma escapada, eles mataram o jogo. Espero que a gente aprenda com isso. Agora é preparar bem para buscar um resultado melhor que o de hoje", finalizou o treinador, já visando a partida contra o Grêmio, no próximo final de semana, para fechar o primeiro turno.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos