Fla chega ao RJ sob protestos, e Guerrero parte para cima de torcedor

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

Após mais um tropeço no Campeonato Brasileiro, a torcida do Flamengo já não apresenta tanta paciência com o elenco. O grupo rubro-negro desembarcou no Rio de Janeiro na tarde desta quinta-feira e se deparou com um protesto tenso comandando por pouco mais de 20 torcedores no saguão do Aeroporto Santos Dumont.

Com faixas que classificavam o momento atual do futebol do clube como "vergonha", os rubro-negros mostravam grande insatisfação com a derrota da última quarta – 3 a 2 para o Santos – e a quinta colocação na tabela, a 15 pontos do líder Corinthians.

"Não é mole, não, para jogar no Mengo tem que ter disposição", gritavam os torcedores. "Acabou o amor, isso aqui vai virar um inferno. Covarde, covarde, time de covardes", completava o grupo do protesto.

Os mais exaltados trocaram empurrões com seguranças e chegaram a perseguir o técnico Zé Ricardo e o meia Márcio Araújo. O clima ficou tenso e só não teve um desfecho pior por conta da intervenção da polícia.

Guerrero irritado

Ainda que não tenha sido alvo da fúria da torcida, o atacante Paolo Guerrero também protagonizou cenas tensas.

O camisa 9 discutiu feio com um torcedor, trocou xingamentos e só não chegou as vias de fato porque seguranças e policiais separaram as partes envolvidas.

Xingamentos à diretoria

O diretor geral do clube, Fred Luz, também era alvo de insatisfação da torcida. "Ô, Fred Luz, vai se f... o meu Flamengo não precisa de você", cantava o grupo, que não escondia o incômodo com os preços dos ingressos. "Ô, ô, ô, abaixem os ingressos".

Ciente do momento delicado, o clube reforçou a segurança. Eram duas dezenas de profissionais posicionados no local para conter qualquer possível problema. Seis policiais militares completavam a escolta no saguão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos