Mano critica físico do árbitro, mas evita culpá-lo por empate do Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

Mano Menezes ficou novamente insatisfeito com a arbitragem em um jogo do Cruzeiro no Mineirão. O técnico crê que Claudio Francisco Lima e Silva (SE) foi conivente com a "cera" feita pelo Botafogo no empate em 0 a 0, ocorrido na tarde deste domingo (6).

O treinador gaúcho acredita que o sergipano responsável por apitar o confronto no Gigante da Pampulha estava fora de forma, o que influenciou na maneira de conduzir o confronto:

"Quando tem um árbitro que permite [a cera], faz parte. O de hoje permite. Ele é meio pesado, tem dificuldade para correr 90 minutos, então tem que parar o jogo interior. Quando você pega um árbitro desse na sua casa, é pior. Aí ele tem que dar cinco minutos de acréscimo, como deu hoje. Isso aconteceu contra o Palmeiras, mas veja a diferença entre os dois. Nessa hora, você passa a ter um prejuízo muito grande. Não estou criticando a equipe adversária, mas o que não pode acontecer é o que o árbitro permita, como foi hoje", reclamou.

Apesar dos questionamentos em relação à arbitragem, Mano evita culpar a atuação de Claudio Francisco Lima e Silva pelo resultado negativo no Gigante da Pampulha:

"Se dissermos que faltou capricho, iríamos para a falha individual. Será que a falta do Thiago Neves em Volta Redonda teve mais capricho que o chute do Rafinha no poste hoje, do que duas ou três bolas cobradas. O futebol tem esses detalhes. Às vezes, o adversário se coloca como o Botafogo e evita. A gente sabia que enfrentaria dificuldades com equipes assim. A formação é o menos importante, importante é o jogo", comentou.

Para Mano, Cruzeiro falhou na definição

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos