Vasco marca no fim e empata com Palmeiras em dia de futebol pobre no Rio

Do UOL, em São Paulo

A vitória deixaria o Palmeiras na terceira posição, mas havia um Manga Escobar no meio do caminho.

Aos 42min do segundo tempo, o colombiano anotou para o Vasco e decretou a igualdade em 1 a 1, neste domingo, no Raulino de Oliveira. Sem São Januário, já que cumpre suspensão por confusão que ocorreu em clássico com o Flamengo, o time vascaíno se dedicou em Volta Redonda e, em má fase, ao menos impediu que os palmeirenses triunfassem. Guerra havia aberto o marcador de cabeça.

Com duas equipes em momento de instabilidade na temporada, o jogo no Rio de Janeiro foi bastante pobre tecnicamente. Cada equipe acertou apenas três finalizações e o público presente não se empolgou. Organizado, o time do Vasco careceu de referências técnicas, teve seus jovens em dia apagado e Nenê e Luís Fabiano, de volta, sem ritmo. Já o Palmeiras de Cuca, com muitos desfalques, mostrou mais uma vez dificuldade na criação e teve os atacantes com pouca inspiração.  

Sem vencer pelo segundo jogo seguido na Série A, o Palmeiras termina a primeira rodada do returno na quarta posição, com 33 pontos. Já o Vasco, com só uma vitória em seis partidas, fica com 25 pontos em 12º lugar, mas pode cair até duas posições na sequência da rodada. Foi o quarto seguido longe de São Januário, e o quarto sem conseguir triunfar.  

O melhor: Guerra

Jogador mais lúcido da equipe, foi premiado pelo bom cruzamento de Jean e anotou gol importante de cabeça. Na comemoração, uma curiosidade: procurou o colega Borja no banco de reservas.

O pior: Wagner

Foi, mais uma vez, jogador de pouca utilidade ao Vasco. Muito lento e disperso, não auxiliou na criação de jogadas.

Manga Escobar tira o Vasco do sufoco

Baixas fazem Palmeiras mudar quase tudo. Prass volta

Thiago Ribeiro/AGIF

Sem Jaílson (quatro semanas), Mina (até três meses), Dudu (até seis semanas) e Moisés (trauma no joelho), além dos já lesionados Mayke, Juninho e Willian, o Palmeiras jogou com apenas dois atacantes e teve Fernando Prass de volta à meta. Guerra jogou como meia articulador e Tchê Tchê, também no meio, mas aberto pela direita. A formação deu pouco resultado em um primeiro tempo pobre em criação.

E também continua a ciranda de Cuca com os laterais 

Em uma equipe com mudanças constantes e que não consegue se estabelecer, as laterais têm sido um símbolo do Palmeiras de Cuca. Depois da eliminação na Copa Libertadores, o treinador voltou a mexer nos dois nomes das posições. Titular na quarta, Tchê Tchê foi deslocado ao meio-campo e deu lugar a Jean (Mayke está lesionado), autor de assistência decisiva. Na esquerda, Egídio foi barrado depois de perder pênalti decisivo e sequer viajou ao Rio - a aposta da vez foi por Michel Bastos, discreto.

Recuperado, Luis Fabiano mostra disposição, mas cansa 

Thiago Ribeiro/AGIF

Luis Fabiano está recuperado de lesão no quadril que o tirou das últimas sete partidas do Vasco. O experiente atacante mostrou muita disposição no seu retorno aos gramados e brigou por cada bola no seu setor. Tamanha entrega gerou uma conta a pagar. No segundo tempo, o jogador estava visivelmente cansado, mas teve que permanecer em campo devido à dificuldade da partida. 

Paulinho perde gol fácil

Nenê volta e pressiona Milton no Vasco

Após ser afastado por supostamente negociar com outros clubes, Nenê voltou ao Vasco. Ele ficou no banco pela primeira vez após ser reintegrado. O técnico Milton Mendes logo percebeu que não teria vida fácil. Aos 19min do primeiro tempo, a torcida já gritou o nome do camisa 20 e voltou a fazer isso aos 38min e no intervalo. Até que, aos 8min do segundo tempo, o treinador chamou o jogador -para delírio dos vascaínos em Volta Redonda – para assumir a vaga do lento e apagado Wagner.

11 anos depois, Luan vira rival, evita gol e leva um chapéu

Criado em São Januário, o zagueiro Luan enfrentou o ex-clube pela primeira vez na carreira profissional. Adquirido do Palmeiras recentemente, ele chegou a ter o nome gritado por torcedores vascaínos em Volta Redonda e abraçou vários dos antigos colegas. Com a bola rolando, evitou um gol de Nenê no segundo tempo ao tirar quase em cima da linha.

Ataque do Palmeiras apagado...

Nem Roger Guedes, nem Deyverson e nem Keno, que entrou no intervalo. A equipe palmeirense teve dificuldade em criar dentro de um novo sistema tático, com dois meias e dois atacantes com um quadrado na frente. Guedes foi o único a conseguir finalizar com perigo, mas Martín Silva pegou. 

Reserva na quarta, Guerra é quem aparece de novo

O que disseram os blogueiros do UOL Esporte

Milton Neves - O Palmeiras entregou os pontos

Juca Kfouri - Vasco e Palmeiras lamentam um mau empate

Mauro Beting - Retorno quadrado. Zero a zero com gols

FICHA TÉCNICA:
VASCO 1 x 1 PALMEIRAS

Local: Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)
Data/Hora: 13 de agosto de 2017, às 16h
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior
Assistentes: Victor Hugo Imazu dos Santos e Bruno Boschilia
Cartões amarelos: Nenê e Raphael Veiga

Gols: Guerra, aos 31min, e Manga Escobar, aos 42min do segundo tempo

VASCO: Martín Silva; Gilberto, Rafael Marques, Breno e Ramon; Jean e Wellington (Manga Escobar); Wagner (Nenê), Matheus Vital e Paulinho (Paulo Vitor); Luís Fabiano. Treinador: Mílton Mendes.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Luan e Michel Bastos; Bruno Henrique (Keno) e Thiago Santos; Tchê Tchê (Borja), Guerra (Zé Roberto) e Roger Guedes; Deyverson. Treinador: Cuca. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos