Corinthians muda estilo e abusa de "chuveirinho" no 1º revés no Brasileiro

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

A primeira derrota do Corinthians no Campeonato Brasileiro escancarou um estilo diferente do colocado em prática habitualmente pelo líder da competição. Durante o revés por 1 a 0 para o Vitória, a equipe de Fábio Carille bateu o recorde de bolas alçadas na área diante de um adversário bem fechado na defesa.

Preso na marcação do Vitória, o Corinthians encontrou dificuldades em criar chances com a bola no chão. Sem triangulação e aproximação, o time alvinegro abusou dos cruzamentos. Para se ter uma ideia, 43 lances terminaram dessa forma, enquanto a média corintiana no campeonato é de 20.

Nas melhores apresentações da campanha, o Corinthians pouco usou esse artifício. Diante do Grêmio, em Porto Alegre, na vitória por 1 a 0, foram apenas quatro cruzamentos. No clássico com o Palmeiras, marcado pelo triunfo corintiano por 2 a 0 em pleno Allianz Parque, foram oito.

Após a derrota, Jô admitiu a falha no plano de jogo do Corinthians depois de ver o adversário abrir o placar logo aos 11 minutos do primeiro tempo. Segundo o atacante, o time baiano soube escolher bem a postura em campo.

"Temos de parabenizar a equipe do Vitória. Foi a estratégia que eles tiveram para vencer a gente. Não tinha uma outra saída, as triangulações. Eles fizeram duas linhas de cinco praticamente ali. Não tinha outra alternativa a não ser alçar a bola na área. Não deu certo. Mas mérito do Vitória, que se fechou e foi eficiente", disse o camisa 7.

"A equipe do Vitória se defendeu muito bem. A gente não tinha espaço, como criar. Eles se prepararam muito bem para essa partida. Não tivemos muitas chances. Mas é normal. Uma equipe que joga contra o líder tinha de se fechar mesmo. Eles aproveitaram essa situação", completou o atacante, que conseguiu assustar o goleiro Fernando Miguel em duas conclusões de cabeça.

false
Jô, artilheiro do Brasileirão, teve chances claras pelo alto após cruzamentos

Corinthians tem a bola. E se perde

A posse de bola corintiana também foi bem superior à média registrada antes da partida do último sábado. Diante do Vitória, o Corinthians ficou 65% do tempo com a incumbência de propor o jogo. Nas primeiras 19 rodadas, esse número ficou em exatos 50%. 

Nessa análise, os números registrados nos triunfos mais emblemáticos também ganham destaque. O Corinthians teve 39% de posse de bola diante do Palmeiras. E repetiu o estilo contra Grêmio (46%), Vasco e Fluminense (44%), Atlético-MG (42%) e Sport (43%), sempre com vitória.

Para o zagueiro Balbuena, o time também cometeu muitas falhas em jogadas simples, como os passes curtos no meio-campo. Em muitos desses lances, o Corinthians deu a chance de o Vitória contra-atacar. 

"A gente errou muitos passes, passes simples, e demos a bola para o adversário. Nesse sentido temos de melhorar e tentar ser efetivo na hora de fazer os gols. Tivemos chances hoje. Temos de pensar lá na frente, estamos trabalhando e isso gera confiança", afirmou o paraguaio.

Vantagem pode cair neste domingo

O Corinthians, com a derrota, parou nos 47 pontos conquistados. O Grêmio, dessa forma, pode diminuir a vantagem para cinco, caso vença o Atlético-PR em Porto Alegre. O time alvinegro, entretanto, ainda terá uma partida a menos na tabela. Esse duelo adiado ocorrerá na próxima quarta-feira, em Santa Catarina, contra a Chapecoense.

"O campeonato continua, é difícil, assim que temos que encarar, com tranquilidade e naturalidade. A gente sempre teve humildade, sabia que isso ia acontecer. Isso mostra que temos de trabalhar cada vez mais. O que fizemos não foi suficiente. Sempre se tira coisas boas de uma derrota", frisou o atacante Jô.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos