Após gol de braço de Jô, Eurico dá ordem para nenhum jogador do Vasco falar

Do UOL, no Rio de Janeiro

O gol de mão do Corinthians, marcado pelo atacante Jô e que garantiu a vitória ao clube paulista por 1 a 0, gerou revolta imediata no Vasco. O presidente Eurico Miranda, que não viajou com a delegação para São Paulo e ficou no Rio de Janeiro, entrou em contato com funcionários cruzmaltinos ainda no decorrer da partida e determinou que nenhum jogador concedesse entrevista após o duelo. Após o apito final, os atletas cumpriram a ordem e deixaram o gramado sem falar com os jornalistas.

Tradicionalmente, nas vezes em que ocorrem erros de arbitragem contra o Vasco, Eurico costuma chamar para si a responsabilidade e convoca coletiva para expôr suas reclamações. Como o dirigente não está na capital paulista, fica a expectativa se ele se posicionará nesta segunda-feira.

Na saída de campo, Jô, o pivô da polêmica, alegou não saber exatamente em que parte do corpo a bola tocou.

"Eu me joguei na bola, não deu para ver. Não sei se a bola ia entrar, não sei onde bateu. Se vocês (jornalistas) tiveram tempo para ver, o juiz não teve. Se eu tivesse sentido que tinha sido no braço, eu teria falado. Mas não sei onde a bola bateu", disse à TV Globo. 

Após o gol, a transmissão da Globo recuperou uma imagem onde o lateral esquerdo vascaíno Ramon pergunta para Jô sobre o lance, mas o atacante mantém praticamente a mesma justificativa, mostrando, em gestos, que jogou o corpo sobre a bola. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos