Mesmo com pênalti perdido, Cruzeiro vence o Bahia e segue dentro do G-6

Do UOL, em Belo Horizonte

O primeiro tempo do Cruzeiro não foi muito bom diante do Bahia. A equipe visitante criou as melhores chances no Mineirão. No início da segunda etapa, Thiago Neves perdeu um pênalti, defendido pelo goleiro Jean. Mas Léo, de cabeça, garantiu a terceira vitória celeste em quatro rodadas, mantendo a equipe treinada por Mano Menezes no G-6 do Campeonato Brasileiro.

Já o Bahia, com a derrota, segue próximo da zona do rebaixamento. Apenas um ponto separa a equipe treinada por Preto Casagrade dos últimos colocados, sendo que o Coritiba joga nesta segunda-feira e pode deixar o Tricolor baiano dentro da zona da degola, caso vença o Palmeiras, em São Paulo.

Léo vira o 3º zagueiro com mais gols pelo Cruzeiro

Autor do gol da vitória do Cruzeiro sobre o Bahia, Léo chegou a 18 gols pelo Cruzeiro. Ele se isola na terceira colocação entre os zagueiros com mais gols pelo clube celeste. Após deixar Bruno Rodrigo e Darci Menezes para trás, Léo agora busca os dois primeiros colocados. Geraldão e Cris, com 30 e 25 gols, respectivamente.

Assistência salva atuação de Thiago Neves

Não foi apenas pelo pênalti perdido, defendido por Jean, mas pelo todo. Thiago Neves teve uma atuação abaixo do que tem apresentado no Cruzeiro. O camisa 30 é o jogador celeste que mais finaliza no Brasileirão, mas contra o Bahia, além da penalidade, o meia chutou apenas mais uma vez ao gol. Além de participar pouco do jogo, Thiago Neves errou muitos passes, especialmente na etapa inicial. Mas foi ele quem cobrou o escanteio para o gol de Léo, que abriu o placar no Mineirão. Mais uma assistência na conta do meia cruzeirense.

Raniel ganha sequência como titular

Com Rafael Sóbis suspenso e Sassá sem poder jogar na Copa do Brasil, o jovem Raniel é a única opção do técnico Mano Menezes para o comando do atacante na decisão com o Flamengo. E para o camisa 36 ganhar moral até a decisão, marcada para o dia 27, no Mineirão, o técnico Mano Menezes tem escalado Raniel como titular. Foi assim contra a Chapecoense e também contra o Bahia. E o centroavante do Cruzeiro teve participação decisiva no jogo. Sofreu o pênalti perdido por Thiago Neves e fez a jogada do escanteio que originou o gol do zagueiro Léo.

Mano escalou o Cruzeiro com força máxima

Daqui dez dias o Cruzeiro define com o Flamengo quem vai ser o campeão da Copa do Brasil em 2017. Mesmo com a proximidade do jogo, nada de poupar jogadores. O técnico Mano Menezes escalou quem ele tinha de melhor à disposição. Algo que não vai acontecer na próxima semana, contra o Atlético-GO. No jogo marcado para o dia 24, às 19h, em Goiânia, o Cruzeiro deve ir com uma equipe completamente reserva.

Gramado bom, mas com aparência ruim

Um dos melhores gramados do futebol brasileiro é o do Mineirão. Porém, no jogo Cruzeiro x Bahia o visual do campo não era dos melhores. Muitas manchas amarelas, dando a sensação de que o estado do gramado não era bom. Porém, de acordo com a administração do estádio e até mesmo dos jogadores, apesar de visualmente não muito bom bonito, o campo não atrapalhou o jogo. O motivo para a aparência ruim foi um festival de música que aconteceu no Mineirão, no final de semana passado.

Bahia foi mais perigoso no primeiro tempo

Apesar de o Cruzeiro jogar em casa e atuar com a equipe titular, foi o Bahia quem mais criou lances de perigo na primeira etapa. Mendoza foi o jogador mais perigoso da equipe tricolor, mas duas melhores oportunidades foram com o zagueiro Thiago e o meia Vinícius. Thiago cabeceou uma bola para fora e Vinícius tentou fazer de cobertura, mas Fábio fez uma grande defesa.

Jean pega pênalti batido por Thiago Neves

Se no primeiro tempo o Cruzeiro não fez o goleiro Jean trabalhar tanto, logo no começo da etapa final o camisa 1 do Bahia evitou que o Cruzeiro fizesse 1 a 0 no pênalti batido por Thiago Neves. O camisa 30 não cobrou bem a penalidade e Jean acertou o lado. Foi o primeiro pênalti defendido pelo goleiro do Bahia neste Campeonato Brasileiro.

Mas o Cruzeiro toma conta do segundo tempo

Se faltou produção ofensiva ao Cruzeiro nos primeiros 45 minutos de jogo, o segundo tempo foi o oposto. O Cruzeiro jogou mais no campo de ataque e criou boas oportunidades, até abrir o placar com Léo, aos 17 minutos. Mesmo com a vantagem no placar, a equipe da casa se manteve no ataque e esteve mais próxima de fazer o segundo gol do que de levar o empate do Bahia.

Juiz trapalhão mata o contra-ataque do Cruzeiro

O Cruzeiro buscava o segundo gol sobre o Bahia, para ter uma certa tranquilidade nos minutos finais do jogo. E aos 40 minutos da etapa final uma ótima chance, num contra-ataque puxado por Raniel, que ajeitou de calcanhar para Rafael Sóbis. Mas o camisa 7 foi derrubado quando entraria na área, pelo árbitro Wagner Reway. O lance gerou muita reclamação dos cruzeirenses, já que o juiz foi um zagueiro para o Bahia.

Lucas Silva não fica dez minutos em campo

Aos 29 minutos da etapa final o volante Lucas Silva entrou no lugar de Hudson, para melhor o toque de bola do Cruzeiro e manter a vantagem no placar. Mas menos de dez minutos depois de entrar, Lucas Silva deu um carrinho por trás em Zé Rafael e levou o cartão vermelho direto, deixando o Cruzeiro com um jogador a menos nos minutos finais do jogo.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 0 BAHIA

Data: 17 de setembro de 2017, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Motivo: 24ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 11.849 pagantes
Renda: R$ 217.609,00
Árbitro: Wagner Reway (FIFA/MT)
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Fábio Rodrigo Rubinho (MT)
Cartões amarelos: Henrique, Raniel, Robinho e Thiago Neves (CRU) Vinícius (BAH)
Cartão vermelho: Lucas Silva (CRU)
Gol: Léo aos 17 minutos do segundo tempo

CRUZEIRO
Fábio, Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson (Lucas Silva, aos 29 do 2º), Robinho (Rafael Sóbis, aos 34 do 2º), Rafinha (Arrascateta, aos 12 do 2º) e Thiago Neves; Raniel.
Técnico: Mano Menezes.

BAHIA
Jean, Eduardo, Tiago (Thiago Martins, aos 25 do 2º), Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Edson, Juninho, Vinícius (Edigar Junio, aos 30 do 2º), Zé Rafael e Mendoza; Rodrigão (Hernane, aos 39 do 2º).
Técnico: Preto Casagrande.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos