Corpo fechado: elenco e comissão tentam escapar de tumulto político do SP

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

O São Paulo mais uma vez tropeçou diante do Corinthians. No ano, são seis embates com o rival alvinegro e nenhuma vitória - quatro empates e duas derrotas. Mas, apesar da frustração pelo 1 a 1 na manhã do último domingo, a sensação foi de esperança pelo bom futebol apresentado. Comissão técnica e elenco mostram sinergia para que o trabalho tenha continuidade e o time evolua ainda mais para escapar da zona de rebaixamento. Tudo isso à base de muita concentração para desviar das faíscas políticas do clube.

Um dia antes do Majestoso, por exemplo, os tricolores foram afetados por uma polêmica entrevista do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva. Ao site Chuteira FC, Leco fez novos ataques a Rogério Ceni, atribuindo ao Mito a entrada na zona de rebaixamento, e críticas diretas a Rodrigo Caio e Cueva. Além disso, já deixou como praticamente impossível a permanência de Jucilei, emprestado até o fim do ano pelo Shandong Luneng.

Os jogadores estavam concentrados desde a sexta-feira e mostravam confiança de que poderiam vencer o líder Corinthians. Esse espírito se fortaleceu pelos elogiados treinos de Dorival Júnior e pela maneira como o grupo se fechou depois do empate com a Ponte Preta, quando Rodrigo Caio e Cueva se desentenderam publicamente. Os dois, aliás, têm passado muito tempo juntos nos treinos e até no aquecimento para o clássico, sempre dialogando e gesticulando.

Ainda no domingo, somou-se à entrevista um caso de suposta agressão de Leco a um conselheiro do São Paulo. Pedro Mauad disse que tentava apenas cumprimentar o mandatário quando começou a ser xingado e acabou até "esganado". A versão é rebatida por outras pessoas presentes no momento da confusão. Elas alegam que Mauad gritava palavras de ordem e ainda puxou o presidente pelo braço de maneira ríspida, causando uma discussão.

Dorival blindou elenco e bancou Cueva

Esse foco e a decisão do clube em restringir o contato dos atletas com a imprensa já havia conseguido dar mais tranquilidade à preparação no dia a dia. Depois da entrevista de Leco, a comissão técnica mais uma vez teve ação elogiada por evitar qualquer efeito colateral entre os jogadores. Dorival bancou Cueva e Rodrigo e ainda lançou Jucilei no segundo tempo. Os três tiveram bom rendimento e houve consenso entre os são-paulinos de que a vitória sobre o Corinthians só não saiu devido a arbitragem.

Dorival, ao ser perguntado sobre os possíveis efeitos negativos da postura de Leco na entrevista, respondeu: "É muito simples. Cueva foi titular e Jucilei é um possível, tanto que entrou na partida. Os jogadores são profissionais o suficiente para saber separar essa situação da concentração exigida para um jogo tão importante como esse". O técnico considera que o trabalho de blindagem feito pela comissão e o compromisso do grupo tiveram resultado. Independentemente dos problemas da diretoria, pensam que é preciso honrar o próprio nome e os torcedores, que quebraram mais um recorde no domingo.

Na 26ª rodada do Brasileirão, o Tricolor terá mais uma vez o apoio da torcida para tentar engrenar e se distanciar da zona de rebaixamento. O Sport será o adversário às 16h de domingo. Os pernambucanos também rondam a parte inferior da tabela e uma vitória nesse confronto direto é considerada ainda mais valiosa.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos